3ª dose de vacina contra COVID-19 pode ser necessária para combater variantes

Enquanto campanhas de vacinação tomam forma em todo o mundo, o SARS-CoV-2 rapidamente sofre mutações que o deixam ainda mais contagioso. Por isso, pesquisadores alertam que pessoas já imunizadas contra o novo coronavírus podem receber uma 3ª dose de vacina contra COVID-19.

As variantes do novo coronavírus encontradas em Manaus (P.1), na África do Sul (501.V2) e em partes do Reino Unido (B.1.1.7) parecem reduzir a eficácia de vacinas por carregarem a mutação E484K, que dribla a ação de anticorpos produzidos pelo corpo humano.

Especialistas ouvidos pela BBC Brasil acreditam que, por isso, a vacina contra a COVID-19 tenha que ser atualizada para proteger contra as variantes já existentes e as que ainda vão surgir.

“Nessa mesma época no ano passado, tínhamos o vírus que surgiu em Wuhan, na China. Neste ano, já temos três variantes que causam preocupação. Nesse período do ano que vem, poderemos ter mais variantes. Então, é possível que a vacina tenha que ser atualizada todo ano para acompanhar esse ritmo”, declarou ao site o virologista Julian Tang, professor da Universidade de Leicester, no Reino Unido.

Queda de eficácia global

Alguns fabricantes de vacinas contra a COVID-19, como Moderna, Oxford/AstraZeneca, Moderna e Pfizer já anunciaram que seus imunizantes oferecem proteção contra as novas variantes detectadas.

Porém, ainda segundo a reportagem da BBC, os estudos realizados apontaram para uma maior proteção contra os casos mais graves da doença. A eficácia global dos imunizantes, ou seja, que engloba também casos leves e moderados, ainda precisa ser mensurada.

Um estudo com a vacina Novavax, por exemplo, mostrou que a eficácia global cai de 95,6% contra o vírus original para cerca de 60%, quando aplicada na África do Sul, onde predomina a variante com mutação E484K.

Já a vacina Johnson & Johnson, de dose única, mostrou uma eficácia de 72% para formas moderadas e graves da covid-19 nos Estados Unidos, mas na África do Sul, esse percentual caiu para 57% e, na América Latina, para 66%.

“O que apareceu nesses dados preliminares é que houve uma queda no percentual de pessoas que não tiveram nenhum sintoma. Mas não teve aumento no percentual de casos graves”, explicou o virologista Felipe Naveca, que participou do primeiro sequenciamento da variante de Manaus.

“Se a vacina continuar protegendo para as formas graves da doença, essas pessoas continuam protegidas para aquilo que é o mais importante da vacina. Agora, se os estudos demonstrarem queda de eficácia nesse sentido, provavelmente as pessoas já vacinadas terão que ser reimunizadas (com vacina adaptada) ou tomar uma dose adicional”, completou o especialista.

Ponto para a CoronaVac

Principal vacina aplicada no Brasil, a CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, leva vantagem entre os imunizantes no quesito resistência às variantes com a mutação E484K.

A microbiologista ouvida pela BBC Brasil, Ana Paula Fernandes, explica que isso acontece porque a CoronaVac é produzida a partir do vírus inteiro inativado, enquanto outros imunizantes focam em injetar no corpo humano genes da proteína spike do vírus para estimular a produção de anticorpos neutralizantes.

“Quando você entra em contato com vírus inteiro inativado, várias células do seu sistema imune são ativadas e são produzidos vários outros anticorpos, não só esse que a gente chama de neutralizante” explica Fernandes, que também é professora e pesquisadora do Centro de Tecnologia em Vacinas e Diagnóstico da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG

Fonte: 3ª dose de vacina contra COVID-19 pode ser necessária para combater variantes - Sanar Medicina

Minhas esperanças de dias melhores estão quase nulas.

Só queria que definissem isso logo.

Dia desses saiu um estudo de que a proteção das vacinas mrna parece ser mais duradoura do que esperavam, aí agora sai essa.

Eu tomo quantas doses forem necessárias, só quero estar 100% seguro.

1 curtida

CoronaVac você sabe que venceu

Difícil viu.

Na Rússia que é a Rússia. Ja chegaram a conclusão que vai ter a 3 dose da vacina.

1 curtida

Acho q a Pfizer e a Moderna já estão estudando essa terceira dose…

E como sempre, é a variante sul-africana q derruba a eficácia de todas

Por causas dessas caralhadas de variantes. Vai acabar sendo aderir vacinação mensal.

Meu Deus! Nos ajude

A veterinária de Bagulhos visionária

2 curtidas

com as 2 doses já ajuda muito, mesmo que precise da 3ª não é o apocalipse, vamos ter tempo pra produzir mais

Hoje passou no jornal hoje que o número de óbitos por Covid saltou no Reino Unido de pessoas que tomaram as 2 doses.

Gente? Surrou muito

Dória o Brasil te ama muito, rei

Se isso for geral vão ser no mínimo uns 500kk de doses aplicadas no Brasil

A Coronovac rainha kkkk

a Butanvac vindo ai acho que vai se potente contra variantes.

Pior que eu já estou querendo tomar os 4 tipos de vacina.

2 da coronavac + 1 da jansen + pfizer

Sem falar que ela é até agora a que menos da efeito colaterais e pode ser aplicadas em crianças acima de 3 anos.

Espero que no dia da minha vacinação seja a coronavac ou butanvac.

1 curtida

Gente longe de mim querer defender Estados Unidos ou fazer deles um modelo, mas ontem eu tava vendo o story do Rafa Uccman e do Lucas Guedez e eles estão naquele país para estudar ingles. Daí eles contaram que fizeram um cadastro no site da CVS (a Drogasil de lá) e eles podiam escolher qual vacina eles queriam tomar e de graça…
eu acho que além da merda do Bolsonaro, o Brasil poderia abrir essa exceção de comprar muitas doses da vacina e ir distribuindo em farmácias (de graça) para ir contabilizando mais pessoas…
Meu medo é que quanto mais gente se vacina, mas relaxamento vai ter e isso é muito preocupante, visto que o Brasil esta muito desigual de uma população a outra em se tratando de idade e imunização

Paes espera aplicar terceira dose da vacina da Covid em idosos no Rio ainda este ano

Prefeito voltou a acelerar a imunização no Rio e diz contar com remessas regulares.

isso aqui foi me março kkkkk

imagina depois de avançar mais.

O Instituto Butantan e o Governo do Estado de São Paulo anunciaram nesta sexta-feira (26/03) a ButanVac , uma vacina contra a COVID-19 produzida integralmente no Brasil e capaz de neutralizar a variante brasileira P.1.

Funcionou nos EUA pq o país pegou todas as doses das farmacêuticas norte-americanas, a ponto de até a Europa ficar sem vacina.