Alexandre Nardoni, condenado pela morte da filha, vai para o regime aberto e deixará prisão

Alexandre Nardoni, condenado pela morte da filha, deve ir para regime aberto em 6 de abril

Condenado a mais de 30 anos pela morte de Isabella, Alexandre Nardoni está preso desde 2008 em Tremembé, no interior de São Paulo. Ele pediu redução da pena por dias trabalhados e por um livro lido na prisão; Justiça aceitou.

Condenado a 30 anos de prisão pela morte da filha Isabella, Alexandre Nardoni deve passar a cumprir a pena em regime aberto a partir de 6 de abril e poderá deixar a prisão. No ano passado, ele pediu redução da pena que cumpre em Tremembé, no interior de São Paulo, por dias trabalhados e por um livro lido na prisão. O pedido foi aceito pela Justiça de São Paulo ainda em 2023.

A notícia foi publicada pelo colunista de O Globo, Ancelmo Gois, e confirmada pelo g1 neste sábado (24). A defesa de Alexandre Nardoni afirmou ao g1 que não comentará a progressão para o regime aberto.

A decisão de reduzir a pena em 96 dias foi da juíza Marcia Beringhs Domingues de Castro, da 2ª Vara das Execuções Criminais, da Comarca de Taubaté, em setembro de 2023. Ela cita na decisão o pedido “que o sentenciado trabalhou por 277 dias, razão pela qual há que prosperar o pedido de remição formulado pela Defesa”.

Ela acrescenta que “o sentenciado permaneceu com o livro ‘Carta ao Pai’ de autoria de Franz Kafka, pelo período de 26 dias dias, tendo apresentado a respectiva resenha, que foi considerada fidedigna pela equipe responsável”. A leitura faz parte do programa de incentivo chamado ‘Lendo a Liberdade’.

O livro é apresentado pela editora como uma carta que Kafka escreveu, aos 36 anos, para o pai e jamais enviou. “Ao mesmo tempo ato de vingança e esforço de reconciliação, a carta recria as cicatrizes de um menino vulnerável e a lucidez atormentada do adulto”, descreve a editora.

Nardoni cumpre pena desde 2008, ano do assassinato de Isabella, na Penitenciária Dr. José Augusto César Salgado, conhecida como P2, em Tremembé, interior Paulista

No pedido feito à Justiça, a defesa de Alexandre mencionou ainda que ele tem ‘boa conduta carcerária e nenhuma falta disciplinar grave’.

Redução de pena

Pelo programa de remição de pena pelo trabalho, a cada três dias trabalhados, o preso pode abater um dia de pena, desde que seja autorizado pela Justiça.

No caso de Nardoni, a reportagem apurou que ele teve a pena reduzida em mais de dois anos e cinco meses, com ao menos oito pedidos de remições ao longo do cumprimento da pena.

Regime aberto

No regime aberto, o condenado cumpre pena fora da prisão e pode trabalhar durante o dia. À noite, deve se recolher em endereço autorizado pela Justiça.

A legislação determina que o preso se recolha no período noturno em uma casa de albergado - modelo prisional que abriga presos que estão no mesmo regime -, mas o Estado de São Paulo não dispõe desse tipo de unidade prisional. Por isso, na prática, os presos vão para casa.

Para não perder o benefício, o condenado precisa seguir algumas regras, como:

  • permanecer no endereço que for designado durante o repouso e nos dias de folga;
  • cumprir os horários combinados para ir e voltar do trabalho;
  • não pode se ausentar da cidade onde reside sem autorização judicial;
  • quando determinado, deve comparecer em juízo, para informar e justificar suas atividades.

Mesmo seguindo essas condições básicas, o juiz pode estabelecer outras condições especiais, de acordo com cada caso.

Crime chocou o país

O assassinato de Isabella Nardoni, crime de grande repercussão que chocou o país, aconteceu no dia 29 de março de 2008, quando a menina de apenas cinco anos foi jogada pelo pai e pela madrasta da janela de um apartamento na capital.

Isabella caiu do sexto andar do apartamento onde morava o casal Nardoni, no Edifício London. Para a justiça , porém, não foi uma queda acidental, mas sim um homicídio. A menina foi agredida e, depois arremessada.

Condenado a mais de 30 anos de cadeia, o pai da menina Isabella cumpre pena desde 2008 na Penitenciária Dr. José Augusto César Salgado, conhecida como P2 de Tremembé.

Alexandre Nardoni atualmente cumpre pena no regime semiaberto. O regime mais brando dá direito a ele às saidinhas temporárias, benefício usado como forma de ressocialização dos presos e manutenção de vínculo deles com o mundo fora do sistema prisional.

14 anos só?

a justiça penal desse país eh uma piada do caralho

5 curtidas

Vou me calar

Bandido bom é bandido *.

1 curtida

Esse assassino de merda tinha que mofar na cadeia. “Ain mas e a ressocialização?” Foda-se, assassinos tem que apodrecer na cadeia.

6 curtidas

cuzil piada

O Judiciário desse país é uma piada, né?

Ele, a Anna Jatobá, o goleiro Bruno, a Richthofen e muitos outros por mim estariam m-word

Eu acho um absurdo um país como o Brasil, que tem uma alta taxa de crimes, ter penas tão brandas

E vai viver como? Quem vai sustentar os seguranças pra ele n morrer kkkk

ressocialização de gente classe media? uaaaaaaaaaaa

ressocialização é pra quem tinha um pézinho na marginalidade, não pra quem tem tudo e do nada sai do armário como psicopata porque estava entediado tipo ele ou a Suzy uaaaaa

O crime compensa no cusil

em qualquer pais serio essa manchete não existiria pois só existiria os ossinhos do individuo após ser condenado a morte anos atrás

por isso não tem como levar a serio NADA que se trate do sistema jurídico deste pais, acho de extrema burrice e mal gosto quem se presta a tentar entender ou defender este circo.

e circo a troco de nada, pois ninguém ganha nada com isso que promovem uaaaaaa

2 curtidas

É um absurdo, o Brasil é o país da impunidade mesmo

cureito penal desse país é um câncer
jamais faria concurso pra MP por causa disso

cureito é fic nesse país
só estudo essa merda de vez em quando pra passar em concurso mesmo

1 curtida

Crime hediondo não deveria ter redução de pena, nem conversão de regime

A redução de pena por ler UM livro kkkkk

https://i.ibb.co/hC05qCZ/4Nysf9x.gif

Puts me descreveu aqui

A metamorfose obra prima

Ele saindo do regime fechado direto pro aberto, por ter lido 1 livro e trabalhado 1 ano kkkkkkkkk que mico

tinha que ter pena de morte pra esses casos