"Amor de Mãe" abusa das coincidências para fazer a história andar

Coincidências acontecem, são obras do acaso, imprevisíveis. A menos que você prefira acreditar em teorias da conspiração, você aceita as que ocorrem na sua vida ou na de conhecidos.

Não por acaso, acontecem tantas coincidências nos folhetins. É um recurso ótimo para provocar situações inesperadas ou improváveis sem quebrar a proposta da história de parecer real. O espectador vê a coincidência em cena e pensa: é, pode acontecer.

No caso de “Amor de Mãe”, as coincidências são um dos pilares que estruturam a trama. Manuela Dias usa e abusa do recurso semanalmente. Às vezes, até mais de uma vez por semana. Os personagens mais improváveis são ligados por coincidências quase mágicas.

A penúltima, se não me falha a memória, foi a descoberta de que Eunice (Dida Camero), a diretora da escola, é irmã não apenas da enfermeira Tânia (Cinira Camargo), que roubou documentos do hospital, como também de Katia (Vera Holtz), a traficante de bebês, que vendeu Domênico, o filho perdido de Lurdes (Regina Casé).

Eunice, como sabemos há mais tempo, dirige a escola onde a professora Camila (Jessica Ellen), filha de Lurdes, dá aulas. E Tania trabalhou no mesmo hospital que Betina (Isis Valverde), ex-namorada de Magno (Juliano Cazarré), outro filho de Lurdes;

No capítulo desta quinta-feira, foi revelada a mais recente coincidência. O poderoso empresário Álvaro (Irandhir Santos) descobriu que é irmão da enfermeira Betina. Como? Nicete (Magali Biff), mãe de Betina, foi babá de Álvaro e teve um caso com o pai dele. Ficou grávida, ganhou dinheiro para fazer um aborto, mas optou por ter a criança.

Para enrolar mais a trama, Verena (Maria) engravidou de Genilson (Paulo Gabriel), ao ser estuprada por ele. O criminoso, que foi morto em seguida por Magno, era irmão de Betina e filho de Nicete.

Com esta nova revelação, o bebê que Álvaro assumiu como seu filho, sabendo que era de Genilson, é também sobrinho de Betina e neto de Nicete.

O excesso de coincidências permite que “Amor de Mãe” tenha um elenco enxuto, o que é bom. Por outro lado, ao abusar deste tipo de recurso, a autora corre o risco de ver o espectador perder a confiança na história. É um pouco fácil demais resolver tudo por meio de coincidências.

@Noveleiros

Venho falando disso há mto tempo no fixo

Eu tô irritado com esse negócio ridículo de todo mundo ser parente

O lance do Álvaro ser irmão da Betina é mto forçado

Nossa simmmmm

O rio de Janeiro dessa novela é um ovo, todo mundo se relaciona com todo mundo em algum grau

Mas a vida é cheia de coincidências mesmo kkkkk
Não assisto a novela mas lembro de Manuel Carlos falando que tem coisas na vida real que acontecem e as pessoas acham normal, mas que se colocar numa novela elas irão dizer que é falso demais pra ser verdade.

Eu AMO essa novela… mas pra mim já deu!

pra mim tá passando mais verossimilhança isso sim

@Milo pq tu só posta as críticas que falam mal da novela? Nunca vi tu postando as que elogiam

Deixa de ser cínico igual o Chanzelle

é que eu nunca vejo críticas positivas kk

Esse lance do Álvaro, e alguns outros tantos, é algo que a gera do fixo sempre vem criticando. O fato da Verena ter sido estuprada pelo Genilson e a PWA ter uma filial perto da casa da mãe da Betina já estaria de bom tamanho para conectar os dois núcleos.

Não tinha necessidade de colocar a mãe da Betina como babá do Álvaro, muito menos sendo mãe da meia-irmã dele

Já perdeu a graça faz tempo.

tenho que concordar…ta ficando ridículo essas coincidências

A do Álvaro foi exagero mesmo Mas o resto tá até ok

Pra mim a gota dagua vai ser o chay sendo filho da Lourdes