ASTRO DA NETFLIX: Rodrigo Sant'Anna não teme comparação com Paulo Gustavo: 'Importante é rir'

Nova astro da Netflix com a sitcom A Sogra Que Te Pariu (2022), Rodrigo Sant’Anna não teme que sua personagem, Dona Isadir, gere comparações com Paulo Gustavo (1978-2021). Criador da franquia Minha Mãe É Uma Peça, o ator que morreu vítima da Covid-19 no ano passado ficou eternizado pelo papel de Dona Hermínia, ícone dos filmes e da peça original.

A comparação entre as personagens surge de forma quase natural. Os dois comediantes se inspiraram nas experiências com as próprias mães para criar personas capazes de causar gargalhadas no público. Sem papas na língua e muito intrometidas, tanto Isadir quanto Hermínia são mulheres mais velhas que amam --cada uma à sua maneira-- suas famílias.

“Eu acho o Paulo um gênio, se me compararem a ele, para mim, está tudo certo. Se não me compararem, também está tudo certo. Eu acho que o lugar de cada um está guardado em um cantinho da Terra e no Céu, e eu tenho todo, todo o meu respeito e admiração pelo Paulo Gustavo”, comentou o ator.

Na verdade, para mim é como se fosse uma alegria poder ser comparado pela genialidade que eu acho o Paulo tinha, e se não compararem também acho que cada um tem sua marca, sua história. A Dona Hermínia tem um público imenso, espero que a Isadir construa o dela. E que seja o Paulo, o [Leandro] Hassum, eu, Paulo Vieira, enfim, diversas pessoas que estão entre nós, é muita gente boa. O importante é a gente rir.

Sant’Anna, cujo talento foi comprovado na Globo ao interpretar Valéria Bandida no extinto Zorra Total (1999-2015), surge como Dona Isadir meses após o público se despedir de Paulo Gustavo. No entanto, a crise sanitária que vitimou o comediante foi a mesma que “possibilitou” a criação da estrela de A Sogra Que Te Pariu.

Durante o período da quarentena, os pais e a avó do ator se mudaram para a casa na qual Sant’Anna vive com o marido. A experiência, apesar de render muitas horas de criatividade, foi desafiadora para o casal.

“[Minha mãe] Foi a Isadir do meu marido, mas refletia diretamente em mim. Meu marido todo dia tinha uma questão com minha mãe. Ela atrapalhava o home office dele, pegava alguma coisa dele e botava em outro lugar que ele não encontrava. Essas situações foram todas da rotina na pandemia. Eu acho que Isadir, efetivamente na construção da personagem, tem um pouco de tudo da minha mãe”, explicou.

Sobre a possibilidade de atingir o sucesso internacional com A Sogra Que Te Pariu, Rodrigo enalteceu o alcance mundial da Netflix, mas pontuou que nada seria a mesma coisa se a série não tivesse o que ele chama de “identidade brasileira”.

“Eu acho que em algum momento a gente pensa no todo, mas sem perder a brasilidade. Essa sempre foi minha maior preocupação. Se a gente não tem identidade, eu acho que você não consegue tocar em lugar algum, nem no Brasil. Eu acho que a nossa primeira potência criativa foram as minhas referências, que são muito brasileiras. A periferia do Brasil, do Rio. Tentamos fazer disso algo que se torne plural, de levar nossa cara para todos os 193 países”, acrescentou.

A primeira temporada de A Sogra Que Te Pariu já está disponível no catálogo da Netflix, com dez episódios. Assista ao trailer oficial:

A diferença é que essa caracterização do Rodrigo está parecendo de uma personagem de filme de terror.

Até pq nem tem como comparar, né?

Eu acho ele muito meia boca

Meu Deus que trailer ruim, pelo amor

Quem dirigiu isso? Que bagunça

Que trailer ruim, filme com auditório? Tá parecendo mais aquelas “séries” da multishow

A lidi nessa bomba kk coitada