Ator de 'No Rancho Fundo' rebate críticas após foto virar polêmica: 'Chamaram de sujos, um absurdo'

Intérprete do Primo Cícero na novela “No Rancho Fundo”, que estreará no próximo dia 15, às 18h, na Globo, o ator cearense Haroldo Guimarães, 46, resolveu fazer um desabafo durante coletiva de imprensa da trama de Mario Teixeira. Ele ficou na bronca sobre as críticas de parte do público a respeito de como o povo nordestino é retratado na história.

No início de março, a primeira foto divulgada da novela causou polêmica nas redes sociais. Para algumas pessoas, a caracterização dos atores pareceu explorar um estereótipo do povo nordestino.

A imagem mostrava o elenco, incluindo os atores Alexandre Nero, Andrea Beltrão e Mariana Lima, além de Igor Jansen e Larissa Bocchino, vestindo roupas velhas e com um semblante sofrido.

Conhecido da produção “Cine Holliúdi”, Haroldo pediu mais respeito. “Teve ator de 20 anos que tentou me dar aula sobre atuação. Eu sou ator desde 1993, mas só agora tive meu reconhecimento. Também tentaram dar aula sobre como é ser nordestino, sendo que eu sou de lá”, começou o ator, que também é advogado.

“Falaram que os atores da foto eram sujos e miseráveis. E teve jornalista grande que usou disso para ganhar likes, engajamento, cliques. É um absurdo”, emendou.

Um dos comentários da foto, publicada no X, dizia: “Em pleno 2024, um povo sujo e miserável com nome estranho é como querem representar o povo nordestino na TV… Que vergonha viu”, escreveu um internauta.

Na opinião do diretor artístico, Allan Fiterman, “No Ranco Fundo” tem o intuito de representar o povo brasileiro. “É uma novela que tem humanidade em seus personagens, que retrata uma família simples que, na verdade, é a mais rica em valores. Isso vai transcender pobreza ou riqueza.”

A história narra a vida da família simples de Zefa Leonel (Andrea Beltrão), que após muitas dificuldades encontra uma pedra preciosa que pode mudar a vida de todos.

Já Primo Cícero é um parente distante de Seu Tico Leonel (Alexandre Nero), marido de Zefa. Apesar de severo, sofre forte influência das suas três filhas, as fofoqueiras Fé (Rhaisa Batista), Esperança (Andréa Bak) e Caridade (Clara Moneke).

Fé, a filha mais velha, não consegue viver seus romances. Esperança, a do meio, aproveita a confiança do pai para se fazer de santa e tirar vantagem. Já Caridade, a caçula, é moderna, irreverente e de pavio curto, e promete se casar com quem quiser para afrontar Cícero.

porque a globo insiste em produções assim? ja vi vários virais de hate em relação a globo continuar retratando o nordeste dessa forma…
acho até um pouco problemático e desagradável

8 curtidas

pq da audiencia

1 curtida

total desserviço… tem gente que nunca pisou no nordeste e pensa que todas as pessoas lá vivem em extrema pobreza e numa espécie de “sertão eterno”…

4 curtidas

é aquilo, novela nunca vai parar com estereotipo

O cara distorceu a discussão toda pra se fazer de coitado. Fez a Juliette

5 curtidas

Ele literalmente distorceu tudo

O que mais se apontou foi que a própria Globo esterotipa os nordestinos, daí tá ele falando que as pessoas tão falando isso

Mas né pra pagar as contas a gente faz tudo

6 curtidas

Ele megrah distorcendo tudo

Mas a juliette no bbb foi um sucesso exatamente por esses estereótipos.

sim, exatamente… é um padrão que se repete, mas não dá mais pra continuar fingindo que o nordeste é um lugar onde todos vivem em extrema pobreza, usam trapos e estão sempre empoeirados… 2024 já.

1 curtida

Mas nessa foto tá todo mundo parecendo sujo e empoeirado… além de estarem usando trapos.

Pois é

pega um personagem paulistano da glocu… também é estereotipado

ele distorcendo tudo

Pelo visto esse doll aqui vai ter que esmurrar mais um pouco, pra ver se a mensagem ENTRA

Que cancelem essa marmota