Autora de Um Lugar ao Sol se desculpa por poucos negros em suas novelas anteriores

Lícia Manzo, autora de Um Lugar ao Sol, fez uma autocrítica em relação aos seus trabalhos anteriores na Globo. Em entrevista ao podcast Novelíssimas, a escritora disse que se arrepende de ter escalado poucos atores negros em outra novelas. Ela entregou que teve mais cuidado com essa questão em seu folhetim que está no ar no horário nobre.

@Noveleiros

“Uma crítica justa que fazem a mim: ‘Você escalou poucos atores negros nas suas primeiras novelas’. É verdade. Peço desculpas por não ter aproveitado essa janela enorme que é uma novela para uma pauta tão importante. Acho que essas discussões estão ganhando força e visibilidade. Elas chegaram até mim e me atingiram profundamente”, afirmou Lícia.

Apesar da autocrítica, Um Lugar ao Sol tem sido alvo de reclamações pela maneira como tem retratado seus personagens negros, sobretudo Ravi (Juan Paiva), que tem enfrentado um verdadeiro calvário.

Aliás, muito do sofrimento do personagem serve como escada para os dramas de Christian/Renato (Cauã Reymond), como o episódio em que o jovem foi preso, o que levou o protagonista a fazer um acordo com traficantes.

Apesar disso, Lícia ressaltou a importância de Ravi para a trama, além de frisar que ainda está aprendendo a abordar diversas pautas que vemos na história. A novelista declarou:

“Em Um Lugar ao Sol, o Ravi é coprotagonista da novela, a consciência do Christian. A gente tem um coprotagonista negro e vários personagens em que essa pauta é atualizada. Acho que você vai aprendendo à medida [que vai fazendo]. Fez parte do meu aprendizado. Espero em futuros trabalhos poder entregar mais”.

1 curtida

Do que adianta escalar se vão por em papéis secundários, humilhantes ou se vão fazer tortura visual?

1 curtida

mas de qual novela tu está falando?

1 curtida

E ainda tem a escritora que a Alinne Moraes vai roubar os textos…
É negra

Bacana a atitude dela em reconhecer, se fosse Aguinaldo ou a Glória sendo cobrados, já estariam reclamando no twitter.

4 curtidas

eu acho que o melhor exemplo de diversidade (e friso, pouca) é quanto mais vida, melhor
amei ter a barbara colen e a mariana nunes

1 curtida

a licia assinou a carta CONTRA o josé mayer na época do assédio…dai você já tira

2 curtidas

De toda grade KKK
Nas 6: escravos, negra prostituta e trambiqueira
Na das 7/8: negro perseguido pela polícia
Nessa aí: negros em situação de trabalho como motorista etc

Negro na Globo eh assim

A próxima novela das sete Cara e Coragem ao que parece vai ter a maior quantidade atores negros, sem falar q o núcleo da Taís será o de protagonistas da novela.

1 curtida

Pedem desculpas pra cometer as mesmas preparadas e pedir mais desculpas

justo seu ponto e acredito que isso ainda precisa ser melhor trabalhado

A pessoa mora num país que 60% da população é não-branca e precisa “aprender” a por diversidade numa novela? Quem ouve, até parece que se trata de um produto produzido na Noruega. É cada uma…

vai ter icaro silva e tais araujo como protagonistas
além de que, as novelas da claudia souto tem uma narrativa mais aberta para esse assunto

1 curtida

Me incomodava muito isso em AVDG e 7V

Bom que ela soube ver que errou e admitiu reconhecer isso e que agora está sendo mais inclusiva

Para mim das novelas recentes a que teve melhor representatividade foi Bom Sucesso
Não só pela quantidade, mas pela qualidade. Tinham personagens negros espalhados em diversos núcleos e com bastante destaque

E na atual novela dela o peso dos personagens negros está sendo de certa forma justo sim (é preciso reconhecer) e sem precisar fazer esses atores de deboche comico como foi por exemplo o Airton Graça em Império que foi reprisada nesse ano, se eu fosse ele teria pulado pra fora do barco porque que personagem mais ridiculo (alias foi um dos personagens ridiculos daquela novela péssima) o Aguinaldo deu a ele nessa novela, sério que alguém achou o papel dele engraçado?

A Lícia é cria do Maneco ne, apesar do texto dela ser melhor que o dele em alguns aspectos, ela pega muito do estilo dele em abordar a vida de classe média alta e isso inclui ignorar totalmente o protagonismo de um elenco negro nesse tipo de narrativa.

2 curtidas

Nossa bicha mas as vezes tu força
Justamente por não estarmos na Noruega é que essas pessoas precisam aprender sobre representatividade negra. Não se trata só de colocar 60% do elenco como pessoas pretas e pardas

A globo morreu!

1 curtida