Band entra na briga com Globo e SBT pelos direitos de exibição do Campeonato Paulista

A Band entrou na briga com Globo e SBT para adquirir os direitos de transmissão do Campeonato Paulista em 2022. Diretores já demonstram interesse para exibir alguns jogos. Seria a volta do torneio após seis anos --a última edição do Paulistão na emissora foi a de 2016, quando ela ainda tinha contrato com a Globo para licenciamento de eventos.

Segundo apurou o Notícias da TV, a Band quer o torneio para o seu Show do Esporte, que está esvaziado de eventos após a saída de torneios de futebol europeu, como o Campeonato Italiano.

O interesse é pelo pacote de TV aberta, o mesmo em que suas concorrentes estão de olho. A emissora já fez um aceno para a Livemode, empresa que ajuda a FPF (Federação Paulista de Futebol) a vender o torneio a partir do ano que vem. A Band, porém, prega bastante cautela.

A emissora não vai fazer loucuras financeiras para ter o Estadual, se for possível. A FPF não tem pressa para fechar um acordo e vê com calma todas as propostas. Ao todo, são oito. Além de três TVs, outras cinco empresas, entre streamings e multinacionais, manifestaram interesse.

Globo e SBT também estão firmes para tentar exibir o Paulistão em 2022. A líder de audiência já enviou para a FPF uma proposta formal para a renovação dos direitos --que eram seus até o fim da edição de 2021 em TV aberta, TV paga e pay-per-view.

A Globo analisa que ter o Campeonato Paulista na grade ainda é importante. O Estadual conquista uma audiência relevante, principalmente em suas fases decisivas, na Grande São Paulo, principal mercado publicitário do Brasil. Na temporada 2021, inclusive, a final entre São Paulo e Palmeiras registrou o maior ibope do futebol até o momento --com 30,1 pontos de média.

O SBT demonstrou interesse, mas ainda não fez uma proposta oficial. As negociações são feitas pela FPF com consultoria da Livemode, empresa do ex-dono do Esporte Interativo, Edgar Diniz.

O contrato antigo da Globo com o Paulistão acabou com a edição de 2021. Para ter a exclusividade em todas as mídias (TV aberta, TV paga e pay-per-view), a emissora desembolsava R$ 225 milhões por ano. Para o novo pacote, ela ofereceu bem menos.

ihhhh

Morro q a Globo tá forçando a redução dos preços de tudo kkkk

que levem