Bem produzida, série documental ‘Você nunca esteve sozinha — O doc de Juliette’ não precisaria ter seis episódios

Campeã do “BBB 21”, Juliette Freire entrou no reality ansiosa para contar sua história de vida aos outros confinados. Tagarela, a advogada e maquiadora não conseguiu ser ouvida por quase ninguém dentro da casa, mas conquistou milhares de fãs ao longo de sua estada no programa e tornou-se um dos maiores fenômenos já vistos no “Big Brother”. Com uma trajetória de muitas batalhas e de superação, a paraibana ganhou uma série documental, “Você nunca esteve sozinha — O doc de Juliette”, que tem direção geral de Patricia Carvalho e direção de Patricia Cupello. Dividida em seis episódios disponibilizados semanalmente, a produção original do Globoplay já apresentou todo o contexto familiar da vencedora. O primeiro capítulo, que aborda a forte ligação de Juliette com sua irmã, Julienne, morta aos 17 anos, vítima de um AVC, é emocionante e muito bem produzido.

No segundo episódio, que relembra a perda da irmã, o documentário avança mais sobre a vida de Juliette e mostra como ela resolveu enfrentar o luto. A produção lembra ainda o início da carreira dela no Direito e na maquiagem, e o sonho antigo de fazer parte do “BBB”. Já no terceiro capítulo, que estreou na semana passada, a sensação que fica é a de uma certa encheção de linguiça. Diante de um telão, Juliette recorda alguns dos conflitos que viveu no reality. Ela recebe os ex-BBBs Lumena Aleluia e Lucas Penteado. São encontros bonitos, mas que não acrescentam nada ao que já foi visto no programa especial “BBB 101”, que reuniu todos os participantes da 21ª edição na casa. Juliette canta ainda ao lado de Elba Ramalho e da banda Francisco, El Hombre, e destaca a importância da música em sua vida.

Nesta semana, o doc deve ir pelo mesmo caminho: a paraibana irá reencontrar Gilberto Nogueira, o Gil do Vigor, e receberá outros cantores. A grande questão é que parece faltar assunto. Não teria sido mais interessante se o documentário tivesse um único episódio mais longo?

2 curtidas

Não,

Eu tô amando os episódios. E achei 6 um número maravilhoso.

Eu achei o último filler, tô ansiosa mesmo pelos dois último que são o pós.

na vdd não precisava de nenhum

8 curtidas

Patrícia comentou ontem que se fala em segunda temporada. A Globo lucrou MT com o doc e quer como sempre sugar ao máximo

Manu nunca errou em assinar com a Netflix, a Globo suga o hype dos ex-bbs mais populares até a última gota.

Ok ai Brasil.

Eu acho que está sendo bom pra imagem da Juliette a mulher tá em tudo quanto lugar e programa da Globo.

Manu tá aí na geladeira a séculos, Juliette acertou em assinar com a Globo ainda mais pq quer ser cantora

Com a fama que essa mulher saiu do programa eu achei seis episódios foi pouco. No momento tem bastante consumidores.

1 curtida

Isso a gente vai saber quando ela se lançar, por enquanto continuam explorando coisa de BBB, o que acho péssimo, fora a saturação que não é positiva pra ninguém.

Manu tá voltando é pro limbo visto que não lança música e tá 92 anos sumida gravando essa série.

Ontem fui fazer um trabalho no aeroporto e na avenida do aeroporto contei 4 painéis da Juliette só na ida

1 curtida

Sim, Globo lucrou mais de 10 milhões só com um doc. Eles tão mega felizes

Na minha ida ao trabalho tem 2 da Estácio e uns 3 do Globoplay

Hahahahahha

É só pq é semanal, mas eu acho ok, 6 episódios

micão

É o que serial? A divulgação do doc tá perfeita!

Acho que 6 episódios está muito bom sim, se fosse mais ai seria encheção de linguiça

Estão falando em segunda temporada, isso me assustou, confesso