BIOGRAFIA: Cinco anos após morte trágica, livro revela talento secreto de Domingos Montagner

Cinco anos e meio após morrer tragicamente, afogado no rio São Francisco num intervalo das gravações finais da novela Velho Chico (2016), Domingos Montagner (1962-2016) teve sua vida retratada num livro. Lançada nesta semana, a biografia Domingos Montagner: O Espetáculo Não Para revela ao público as várias profissões que ele teve e até um talento escondido: o paulistano foi um exímio ilustrador e chegou a desenhar cenários de suas peças.

“O livro traz muitas histórias. O público vai descobrir sobre o professor de Educação Física que descobriu o Teatro, vai descobrir que ele desenhou desde adolescente, foi cenógrafo. O livro tem alguns croquis de cenários dele”, diz Oswaldo Carvalho, autor da obra, à reportagem.

A biografia de Domingos Montagner começou a ser escrita em 2018, e o trabalho levou cerca de três anos para ser concluído. Carvalho fez extensa pesquisa, reuniu mais de 150 fotos de acervo do ator e entrevistou mais de 80 pessoas, entre parentes, amigos de infância e juventude e colegas de trabalho do circo, do teatro, da TV e do cinema.

Famosos como Antonio Fagundes, Cauã Reymond, Lilia Cabral, Camila Pitanga e Maria Fernanda Cândido deram seus depoimentos sobre o amigo. Uma das entrevistas mais emocionantes, segundo o autor, foi a de Ingrid Guimarães.

“Eu tinha apurado que ele tinha ficado muito feliz em fazer o filme que eles fizeram, Um Namorado para Minha Mulher [2016]. Ele vinha de uma sequência de galãs nas novelas e queria fazer comédia, ele era palhaço. E a Ingrid me contou toda a história do filme, ela com medo de fazer uma cena de trapézio e ele a acalmando”, lembra.

Já o diretor Jayme Monjardim, com quem Montagner trabalhou na novela Sete Vidas (2015), descreveu uma história curiosa sobre a personalidade humilde do ator.

“Jayme Monjardim viu ele carregando caixas junto com a equipe técnica da novela Sete Vidas. Eles foram pra Patagônia [na Argentina], pra fazer cenas lá, e ele viu o Domingos descarregando caixas com a equipe técnica. Monjardim comentou que, em décadas de carreira, nunca tinha visto um astro da televisão carregando caixas”, revelou Carvalho.

Além das histórias de bastidores da TV, o livro remonta a jornada de Montagner desde a infância, passando pelo sucesso como artista circense, a entrada tardia na teledramaturgia e a trágica morte aos 54 anos.

“O livro é sobre a vida do Domingos e a trajetória artística. Mas tem esse momento tão triste, que abalou o Brasil todo. A trajetória dele é tão rica que ele está aqui entre nós, nos filmes, nos trabalhos, na companhia dele que continua muito ativa. Acredito que a obra do artista vive para além da vida física dele”, afirma o autor da biografia.