Bolsonaro veta projeto da Lei Paulo Gustavo | Proposta destinaria 3,86 bilhões de reais para o setor cultural

O presidente Jair Bolsonaro vetou um projeto de lei, batizado de “Lei Paulo Gustavo”, que previa o repasse de R$ 3,86 bilhões em recursos federais a estados e municípios para o enfrentamento dos efeitos da pandemia da Covid-19 sobre o setor cultural. A informação foi divulgada nesta segunda (5) pela Secretaria-Geral da Presidência.

A proposta visava homenagear o ator ator e humorista Paulo Gustavo que morreu em maio do ano passado, vítima da Covid-19. Ele era um dos artistas mais populares do país e faleceu aos 42 anos no Rio de Janeiro.

O projeto é de autoria do senador Paulo Rocha (PT-PA) e foi aprovado pelo Senado em novembro de 2021. Em fevereiro, quando passou pela Câmara, foi modificado e, por isso, retornou para análise dos senadores. Em março, foi aprovado pelo Senado e enviada à sanção presidencial.

A proposta estabelecia que seriam repassados 3,86 bilhões aos estados e municípios para o enfrentamento dos efeitos da pandemia da Covid-19 sobre o setor cultural, destes: R$ 2,79 bilhões seriam destinados a ações no setor audiovisual e R$ 1,06 bilhão para ações emergenciais no setor cultural.

Para custear o repasse, a proposta autorizava o uso de: dotações orçamentárias da União; superávit financeiro de receitas vinculadas ao Fundo Nacional de Cultura; e outras fontes não especificadas no projeto.

A secretaria-geral da presidência informou que a proposta foi vetada, pois contrariava o interesse público já que criava uma despesa sujeita ao limite constitucional previsto e não apresentava “compensação na forma de redução de despesa, o que dificultaria o cumprimento do referido limite”.

Além disso, a pasta afirmou que “ao criar a obrigatoriedade do repasse pelo Governo federal de recursos provenientes de fundos como o Fundo Nacional de Cultura aos Estados, aos Municípios e ao Distrito Federal, a proposição legislativa enfraqueceria as regras de controle, eficiência, gestão e transparência elaboradas para auditar os recursos federais e a sua execução”.

Desgraçado!

Novidade seria se ele não vetasse

3 curtidas

Característica do fascismo: censurar e perseguir as artes.

Agora está explicado da onde está vindo o dinheiro dos novos canais de TV que o presidente irá lançar nesse ano
https://bcharts.com.br/t/novas-tvs-de-bolsonaro-vao-custar-r-25-milhoes-so-este-ano/241669/2

Demônio.

Será que o CN derruba?