BRUNO BEVAN - Além da Ilusão: Ator se surpreende com ciganos nos bastidores; saiba por quê

Intérprete de Yanko em Além da Ilusão, Bruno Bevan ficou surpreso com a riqueza de detalhes da cultura romani quando se preparava para o papel. Para viver o nômade na novela das seis da Globo, o ator mergulhou nos ensinamentos do povo cigano.

“[A preparação] continua durante a novela, o tempo todo, porque é uma cultura muito extensa. A gente precisaria de uma vida pra entender tudo cem por cento”, conta ele, em entrevista ao Notícias da TV.

Na trama de Alessandra Poggi, a família de Yanko fez uma participação de dez capítulos no núcleo principal da novela. Eles chegaram em Campos dos Goytacazes como um povo nômade e deixaram alguns personagens ressabiados por conta das diferenças culturais. Benê (Claudio Jaborandy), inclusive, tentou afugentá-los com uma espingarda.

Os ciganos só ganharam a simpatia dos operários após terem salvo Jojô (Nicolas Parente) de um ataque de cobra. O menino havia sumido de casa por ter roubado um batom no armazém de Fátima (Patrícia Pinho), e os moradores até pensaram que ele tinha sido sequestrado pelos forasteiros.

Preparação para Yanko

Durante as cenas, Bruno Bevan carregou no sotaque russo enquanto falava português com a inserção de algumas palavras do dialeto cigano. Ele também teve a ajuda de duas mulheres ciganas no set de gravação para ajudá-lo na pronúncia correta de cada frase.

“É legal porque o público acaba conhecendo mais essa língua deles”, comentou o ator, sobre o trabalho didático que a novela trouxe ao inserir a cultura estrangeira na trama das seis.

Conhecido como Zé Hélio de A Dona do Pedaço (2019), o artista também mudou alguns hábitos pessoais para interpretar Yanko. Ele, que sempre foi diariamente à academia, parou de pegar peso para ficar mais magro e deixou o cabelo crescer.

Yanko volta para Além da Ilusão?

Na quinta (31), a família de Yanko se despediu de Campos de Goytacazes em paz com os operários da Tecelagem Tropical. O ator, inclusive, até torce para que o personagem volte para a trama de Alessandra Poggi futuramente --até como par romântico de alguém.

Esse não é o viés principal do meu personagem, ele não está ali pra ser um galã ou um galanteador. Mas é claro que uma geração de amor, seja ela qual for, é sempre bem-vinda. Se alguma personagem viesse a se encantar, acho que vai ser legal porque vai poder mostrar o Yanko com um relacionamento amoroso fora do mundo cigano. Pode ser um ponto que a autora queira mostrar, mas isso vai ficar na mão dela.