Bruno Gissoni fala de papéis em séries, da chegada da segunda filha e do casamento com Yanna Lavigne

Depois de gravar a série “Rio connection”, parceria da Globo com a Sony, Bruno Gissoni já está com as atenções voltadas para um novo trabalho. Ele entrou para o elenco da quarta temporada de “Impuros”, do Star+. O ator traça um paralelo entre as duas produções:

  • “Rio connection” aborda o tráfico de drogas em 1970, quase no início de tudo. E “Impuros” é oriunda daí, duas décadas depois, no final dos anos 1990. Essa linha cronológica de “Rio connection” acaba em “Impuros”, uma série que mostra como isso se enraizou na nossa sociedade e na nossa economia. Saiu da favela e foi parar lá no judiciário. É interessante ter uma história que bota uma lupa nesse problema crônico brasileiro que é a luta contra o tráfico.

Na produção do streaming, ele interpreta Santos:

  • Ele fica bem no olho do furacão, entre o mundo do Morello (Rui Ricardo Diaz) e o do Evandro (Raphael Logam) . E tem um romance com a ex-mulher muito forte, que afeta bastante a vida dele.

Já em “Rio connection”, Gissoni vive um dono de boate envolvido com as atividades criminosas do mafioso italiano Tommaso Buscetta (Valerio Morigi). Ele atuou em inglês:

  • Eu achava que seria mais tranquilo. Morei quase dez anos em Los Angeles. Passei minha adolescência toda lá. Mas, como não praticava há muito tempo, rolou uma insegurança. Depois consegui reativar. Foi muito divertido. Não sonhava atuar em inglês, não buscava isso.

Gissoni segue na direção oposta do irmão, Felipe Simas, que resolveu sair da Globo justamente para tentar a carreira internacional nos EUA.

  • Claro que já pensei numa carreira internacional, mas acho que a minha está aqui dentro. Antes de qualquer coisa quero trabalhar em casa, com histórias que o Brasil tem para contar. O que o Felipe está fazendo é uma coisa muito corajosa. Ele tem uma trajetória consolidada aqui e deixa um legado com trabalhos lindos. Isso só engrandece a coragem de ir para fora e começar do zero. Bom é que, se eu quiser dar uma voltinha, posso ir para lá. Madalena (sua filha) também tem onde ficar se quiser morar fora - brinca.

Além de Madalena, de 4 anos, o ator é pai de Amélia, de 4 meses, frutos do casamento com a atriz Yanna Lavigne. Ele diz que, ao contrário de Felipe, que tem três filhos, não pensa em aumentar a família por ora:

  • Sempre que pego Amélia no colo, vejo que ela é um bebê tão delicioso que fico imaginando: “Será que não vou ter outro desse?”. Mas, neste momento, não. Estamos muito felizes, preenchidos e satisfeitos.

O ator acredita que a criação de Amélia vai ser parecida com a de Madalena:

  • Eu e Yanna, quando a Madalena tinha 2 anos, entramos numa Kombi e saímos viajando pelo Nordeste. Ela entrou nessa grande aventura. Ao escolher a nossa família, ela já sabia onde estava se metendo. Hoje a gente vive entre o Rio e a casa que construímos na Serra da Mantiqueira, em Minas. Sempre que temos folga vamos para lá. E Amélia já está entre o calor e frio, a praia e a montanha.

O casal chegou a se separar durante a primeira gravidez da atriz. Para Gissoni, isso fortaleceu a união:

  • Nosso tempo longe só fez com que a gente olhasse para nossa família do ponto de vista externo. E percebesse que era ali mesmo que a gente queria estar. Entendemos que somos mais felizes e completos dessa forma. Se a gente se ama, não tem sentido não lutar por uma família unida e feliz. E vamos fazer isso da forma mais sincera sempre.

Bruno Gissoni com a mulher, Yanna Lavigne, e as filhas, Madalena e Amélia (Foto: Reprodução)
Bruno Gissoni com a mulher, Yanna Lavigne, e as filhas, Madalena e Amélia (Foto: Reprodução)

Bruno Gissoni em 'Impuros' (Foto: Divulgação)
Bruno Gissoni em ‘Impuros’ (Foto: Divulgação)

bicho feio
sorte dele ter aqls outros irmãos pra se sentir melhor

Ele era gostosinho quando mais novo

Acho ele uma delícia em Avenida Brasil

mds ele era ate bonito mas envelheceu mal