CACO CIOCLER Pantanal tem uma novela 'normal' dentro da saga rural: 'Núcleo carioca'

O remake Pantanal conta com uma “novela normal” dentro do folhetim que é considerado um fenômeno na TV brasileira desde 1990. Caco Ciocler interpreta Gustavo na segunda fase da trama e explica que o núcleo ambientado no Rio de Janeiro cresceu para abraçar o telespectador que tem mais identificação com o cenário urbano do que com o rural.

“Não é segredo para ninguém, porque foi colocado para a gente [elenco]. O núcleo carioca é uma questão, porque não é o Pantanal, é uma novela reconhecível, normal, dentro de um acontecimento que é o Pantanal, em todos os aspectos”, conta Caco Ciocler.

Ele afirma que o diretor artístico da saga, Rogério Gomes, o Papinha --que pediu demissão da Globo– preparou o núcleo do Rio de Janeiro para equalizar com a força do Pantanal. “Tem de funcionar, mas eu estou com essa expectativa de ver como é que esse núcleo carioca vai sobreviver nessa onda pantaneira”, comenta o ator.

Ciocler não gravou no Mato Grosso do Sul, mas desde que foi escalado para o papel não para de ser questionando sobre como é o Pantanal. Ele revela que existe muita curiosidade em torno das cenas gravadas no bioma, dentro e fora da Globo. Porém, ele praticamente só teve cenas nos Estúdios Globo, no Rio de Janeiro.

“É curioso até, é a primeira novela que eu faço que eu não saí do cenário. Eu tive acho que duas cenas externas, e uma era de capacete, porque eu estava numa moto, então eu nem saí para a externa direito”, detalha.

Ciocler grava cena em uma moto

Caco Ciocler grava cena em uma motocicleta

Gustavo quer apagar rejeição do passado

Apaixonado por Madeleine (Karine Teles) durante décadas, o mestre em análise comportamental parece ser equilibrado, lúcido. Embora seja um terapeuta bem-sucedido, ele não encara seus problemas de frente.

Gustavo é um personagem muito complicado. O fio condutor do “doutor” é de um homem que se sustenta de pé durante a novela toda, não é um cara derrotado, mas tem essa fragilidade imensa que a paixão pela mãe de Jove (Jesuita Barbosa).

Ciocler afirma que não é um amor que não deu certo o de Gustavo e Madeleine. Eles tiveram o rompimento porque ela se encantou com o peão, mas os dois têm tesão e paixão um pelo outro. Por isso, depois de duas décadas, eles tentam o relacionamento de novo.

Mas o que esperar desse casal nessa segunda fase, com ambos amadurecidos? “O Gustavo tem uma característica que é dita no texto. Ele volta [para o Rio de Janeiro depois de muitos anos no exterior] um personagem muito diferente, volta um profissional bem-sucedido, mas é um cara que eu acho que tem que apagar um pouco a sua história”, analisa o intérprete, que expõe motivos para que esse homem não seja tão bonzinho agora:

A primeira fase é muito sofrida para ele, é uma fase de muita rejeição, de muito sofrimento. Ele é um cara que vai buscar profissionalmente uma revanche. Ele se isola, viaja para fora do país, volta bem-sucedido e morando num puta apartamento. Teve uma intenção nossa de ele olhar pra si e falar: ‘Não quero mais ser daquele jeito. Serei outra pessoa, serei mais seguro, serei mais dono da minha vida’. E obviamente que ele não consegue, mas a tentativa dele no primeiro momento é essa.

Escrita por Benedito Ruy Barbosa, a novela Pantanal foi exibida em 1990 pela extinta Manchete (1983-1999). O remake da Globo é adaptado por Bruno Luperi, neto do dramaturgo.

Diferentemente de outros folhetins inéditos que estrearam no ano passado, a história não está totalmente gravada e poderá sofrer alterações. Entretanto, Luperi já escreveu todos os capítulos. A trama deve ficar no ar até a segunda quinzena de outubro.

E não precisava nem um pouco desse núcleo kkkk

O autor disse q o núcleo era pra quem n gostava de novela rural

gente, esse homem, NÃO é possível
:tesao: :tesao: :tesao:

Nossa que matéria mais ridícula. Insinuar que novela fora do eixo Rio SP não é normal. Não deveria.

1 curtida

Ele devia ocupar a boca dele comigo e parar de dizer bobagens