Cambará do Sul no RS registra -22,8°C de sensação térmica e choca curitibanos

O frio registrado pelos termômetros no início desta terça-feira (29) no Rio Grande do Sul foi ainda mais intenso para quem sentiu na prática. Em Cambará do Sul, por exemplo, a sensação térmica chegou a -22,8°C por volta das 8h30min, quando a temperatura era de -0,6°C, de acordo com a estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

A sensação térmica é um índice criado para representar como uma pessoa sente a temperatura na prática. Esse número pode ser calculado tanto no verão quanto no inverno, levando em conta dois principais fatores: a umidade do ar e o vento.

O impacto da umidade elevada se justifica devido à dificuldade de evaporação do suor — mecanismo empregado pelo corpo humano para manter a temperatura constante perto de 36,5°C. Já o vento tem implicações especialmente em dias mais frios, pois é como se o movimento do ar roubasse calor do corpo.

Fábio Luengo, meteorologista da Somar, explica que a sensação térmica registrada no Rio Grande do Sul nesta terça teve influência da massa de ar frio, da grande quantidade de umidade e do vento relativamente moderado. Durante a madrugada e início da manhã, Santa Vitória do Palmar teve rajadas de 66 km/h e Rio Pardo, de 58,6 km/h, por exemplo.

Em Cambará do Sul, onde a sensação ficou abaixo de -20°C, o vento chegou a 55 km/h. Já Canela, que teve sensação de -20,2°C às 5h, quando a temperatura estava em torno de 0,6°C, registrou rajadas de 45 km/h.

De acordo com Luengo, essa condição é resultado de uma tempestade subtropical que se formou na costa do Uruguai entre segunda (28) e terça-feira:

— Uma tempestade subtropical é um ciclone mais intenso. Quando tem esse tipo de sistema, é comum ter muito vento.

Para o meteorologista do Centro de Pesquisas e Previsões Meteorológicas da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) Leonardo Calvetti, o vento é o principal responsável pelo frio sentido nesta terça no território gaúcho. Ele destaca que as temperaturas não foram tão baixas, mas acredita que a sensação seja a pior do ano.

— Massas de ar como essa ocorrem todo o ano. Quando olhamos os valores das temperaturas, percebemos que já tivemos números mais baixos, porém, para quem está na rua hoje, a sensação é de muito frio. Está horroroso — afirma.

A previsão é de que as rajadas permaneçam intensas até a manhã desta quarta-feira (30). No decorrer do dia, a parte Leste deve seguir registrando ventos acima de 60 km/h, enquanto que na Região Central podem ficar em torno de 50 km/h.

No site do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina, há uma ferramenta que permite calcular a sensação térmica, com base na temperatura do ar e na velocidade do vento em quilômetros por hora. Para saber o índice de determinado horário, é preciso informar a temperatura e a velocidade registradas naquele momento. Entretanto, Luengo ressalta que existem fórmulas diferentes para calcular a sensação térmica e, por este motivo, os valores encontrados podem variar de acordo com a instituição consultada.

DEUs ME LIFRe

Por deus

Deve ser a coisa mais insuportável