Ciro Gomes teve comitiva interrompida no RJ e deixou local às pressas de táxi

Ciro Gomes e aliados tiveram seus carros temporariamente impedidos de deixar uma vila do Morro da Mangueira onde participaram de um almoço com o babalaô Ivanir dos Santos, nesta segunda-feira.

Motivo da obstrução da via? Um carro estacionado na saída dela após a chegada do grupo, sem qualquer motorista disposto a retirá-lo. Membros do partido souberam, pelo buchicho entre moradores, que o autor do feito seria um policial militar da região, supostamente apoiador de Jair Bolsonaro.

Ciro, que ainda tinha agendas a cumprir em Duque de Caxias e Niterói, teria deixado o local às pressas de táxi com Carlos Lupi, conforme informado aos que permaneceram no local. Os correligionários só conseguiram sair após meia hora e uma ligação para o reboque, com a sensação de que aquele tinha sido um aperitivo do clima nada amistoso reservado para 2022.

Ciro já havia tido uma amostra do bolsonarismo fluminense na semana passada, quando bateu boca com admiradores do presidente num restaurante em Visconde de Mauá, no Sul do estado.

Imagina os atentados contra adversários do miliciano… que horror

os milicos já se preparando pra 2022… vai ser um salve-se quem puder

Espero que fique tudo bem com o Ciro até 2022,esses loucos são capazes de tudo

os milicianos ja agindo

A milícia do Bozo agindo

Aliás o rei tava lá para construir um programa contra o racismo para adicionar em seu projeto…
Não calaram a voz da lenda.