Critica Kogut: 'Quanto mais vida, melhor!' tem fórmula conhecida e eficiente

As novelas das 18h são tradicionalmente românticas ou histórias de época; as das 21h abordam temas mais densos e pesados; já as histórias das 19h abraçam o humor e a aventura, mas miram num público de perfil mais indefinido. Elas são, por isso, consideradas um grande desafio para autores e diretores. É nessa faixa que a Globo lançou, na última semana, “Quanto mais vida, melhor!”.

Escrita por Mauro Wilson e com direção artística de Allan Fiterman, a trama reúne os ingredientes necessários a atrair quem está na frente da TV nesse horário. Tem uma fórmula bem calculada, o que não é demérito. Acompanhamos quatro personagens centrais sem qualquer ligação entre si que ganham uma segunda chance depois de um acidente de avião fatal. A própria Morte conversa com eles. É uma fantasia que precisa ser bem realizada ou o resultado final fica tosco. Funcionou. O elenco é cheio de figuras queridas do público. Mateus Solano, Giovanna Antonelli, Vladimir Brichta, Valentina Herszage, Julia Lemmertz, Elizabeth Savala, Marcos Caruso, Ana Lúcia Torre e Tato Gabus Mendes levam seus personagens com talento e segurança. Luciana Paes é divertidíssima e uma ótima presença.

“Quanto mais vida, melhor!” fez uma boa estreia e tem tudo para agradar.