Critica Kogut: Quanto tempo vai demorar até que o audiovisual retome o ritmo intenso?

Uma das feiras mais importantes do mercado audiovisual, a MIPCOM aconteceu semana passada em Cannes depois de dois anos de hiato por razões de pandemia. Segundo noticiou a imprensa internacional, o evento no Palais des Festivals estava diferente. De acordo com a “Variety.com”, quem esteve por lá agora sentiu falta das multidões de distribuidores e das festas noturnas que ocupavam os bares da praia na charmosa Riviera. “Foi chocante ver a fachada do Palais, normalmente adornada com cartazes dos mais recentes lançamentos, vazia”, diz a reportagem. A organização da feira aposta que, em 2023, ela recobrará a força de antes. Por algum tempo ainda, o mercado vai sentir os efeitos dessa ressaca. Quanto tempo? A conferir.

E falando nisso, um estudo do Observatório Europeu do Audiovisual divulgado semana passada revelou até que ponto a Covid afetou a produção televisiva na Europa em 2020. Houve uma queda de 600 horas no volume de produção. Há, no entanto, uma curiosidade: a pandemia só não impactou as novelas de lá. A pesquisa completa está no “Rapidtvnews.com”.

Aqui no Brasil, dá para sentir que o audiovisual está vibrante, cheio de novidades. É torcer para que siga assim.