CRÍTICA Me Tira da Mira: Nem humor salva filme de Cleo e Fiuk do desastre completo

Filme que reúne pela primeira vez na ficção o irmãos Cleo e Fiuk com o pai, Fábio Jr., Me Tira da Mira estreia nos cinemas nesta quinta-feira (24) com o intuito de conquistar a parcela do público que é fã de comédias de ação. No entanto, mesmo com boas participações especiais, nem o humor salva o longa do desastre total.

Envolvida com a produção desde o início do projeto, Cleo estrela a trama como Roberta, agente da Polícia Civil e a melhor de sua equipe. Apesar do talento, ela sofre com o machismo estrutural da corporação, que se nega a reconhecer seu mérito em vários casos.

Com sangue policial correndo em suas veias, Roberta é filha de Jorge (Fábio Jr.), um dos chefes da Polícia Federal e que sonha em levar a herdeira para sua equipe. Ele fez o mesmo com Rodrigo (Sergio Guizé), antigo parceiro e amante da jovem, que engrossa o coro pela vinda da amada.

Mesmo contra as recomendações de seus superiores, Cleo vê na investigação da morte de Antuérpia Fox (Vera Fischer), grande atriz brasileira, uma oportunidade de provar de vez seu valor. Para isso, ela se infiltra em uma clínica de realinhamento energético comandada por magnatas, local que ela acredita ter pistas sobre a morte da estrela.

Sergio Guizé e Cleo em Me Tira da Mira

Sergio Guizé e Cleo em Me Tira da Mira

Dirigido por Hsu Chien, cineasta que já provou ter talento para comandar comédias como em filmes como Quem Vai Ficar com Mário? (2021), o longa ganha um pouco de fôlego com seu núcleo mais voltado para o humor. Parte do mérito disso, além do trabalho de Chein, foi as escalações de Júlia Rabello e Bruna Ciocca.

Infiltrada na clínica, Roberta encontra Natasha Ferreiro (Júlia), atriz “cancelada” nas redes sociais e que busca no local uma maneira de se reerguer. Há ainda Isabela (Bruna), terapeuta da clínica que já se envolveu com Lucas (Fiuk), parceiro da protagonista, mas que tem dificuldades para aceitar a rejeição.

Se as duas atrizes têm o chamado “timing cômico” para causar alguns risos no espectador, o mesmo não vale para o restante do elenco. Até mesmo Stênio Garcia, nome mais consagrado da produção, sucumbe à pobreza do roteiro de Me Tira da Mira.

Sustentado quase que inteiramente pela novidade de ter Cleo, Fiuk e Fábio Jr. juntos em cena, Me Tira da Mira se rende a constrangedoras piadas que foram propositalmente inseridas no texto para fazer referências aos laços familiares do trio. Juntos, eles se esforçam para mostrar alguma química, mas o resultado final prova que a diversão ficou apenas no set de filmagem.

A Gkay, não meus amores