Damares cita série da Netflix ao propor revisão da classificação indicativa

O governo Bolsonaro planeja rever a política de classificação indicativa para os programas de televisão. Segundo a Agência Brasil, uma portaria assinada nesta quarta-feira (12) criou um grupo de trabalho para a elaboração de uma “Política Nacional de Qualificação de Conteúdo para a Criança e Adolescente”.

O compromisso foi assinado pelos ministros da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

Segundo o Ministério da Justiça, “a iniciativa irá mapear potenciais abusos provocados por violações aos direitos da criança e do adolescente contidas em programas televisivos e conteúdos audiovisuais em geral, exibidos por emissoras de rádio e televisão, provedores de conteúdo on-line, espetáculos públicos, assim como considerar contribuições contidas em estudos, iniciativas em cursos e projetos de lei relacionados à temática”.

Durante a cerimônia, a ministra Damares afirmou que o público infantil tem sido exposto a conteúdos que ela considera nocivos e citou a Netflix, segundo registrou a Agência Brasil.

“A gente vem aí com a iniciativa de rever a classificação indicativa no Brasil. Todos vocês receberam no WhatsApp, com certeza, esses dias, o desespero das famílias com aquela série que tá na Netflix, de violência. Todo mundo recebeu isso. A gente recebe denúncias como essa todos os dias. Em plena 10 horas da manhã, filme de violência e as crianças na sala”.

Ainda que não tenha mencionado nenhum título, a ministra possivelmente se referiu a “Round 6”, uma produção coreana, lançada em setembro, que já alcançou o status de série mais vista na história da Netflix.

O secretário nacional dos direitos da criança e do adolescente, Maurício Cunha, afirmou que a portaria conjunta deverá propor mudanças normativas em até um ano. Qualquer alteração legal, segundo ele, será submetida a consultas públicas prévias antes de entrar em vigor.

“É um grupo de estudos, a gente não está direcionando para A ou para B nessa mudança, mas do jeito que está hoje, não dá pra ficar. Queremos fortalecer a classificação indicativa e fazer uma melhoria dos marcos normativos”, disse.

O secretário criticou os programas policiais. “Temos que proteger as crianças de exposição indevida, inclusive aquelas em conflito com a lei”. Foi uma referência ao fato de estes programas, classificados como jornalísticos, não estarem submetidos às regras de classificação indicativa.

Achei que ela iria citar uma da Damares+

Até lembrar que essa plataforma é mais conservadora que ela

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

é só bloquear … só deixar as crianças verem a área para crianças
que adultos burros… meu Deus

2 curtidas

Ela deve até ser consultora e mandar sugestões que são prontamente atendidas. Tipo o chute que deram em Love, Victor

Oxe, a série é 16+

Botar a culpa nos trabucos dos pais dos pestinhas por deixarem eles assistirem não querem

11 curtidas

Eu acho essa história de conteúdo sensível uma desgraça

Sério, tem pais que não pode tirar UM minuto para vigiar o que a criança vê na net e depois vem reclamar quando pega ela assistindo algo indevido

2 curtidas

Old

Amiga certeza que ela cuida da parte da Marvel

1 curtida

os pais negligentes que só dão o celular na mão dos pestinhas e não olham o que estão acessando

1 curtida

né ? a culpa é deles que são burros d+ para vigiar o que eles estão assistindo… ai querem botar culpa no Netflix

E como sempre esse tribufu da Damares não consegue pensar com mais de 2 neuronios e por mais de 5 segundos

Qualquer pessoa com um minimo de senso pensaria diferente disso

1 curtida

ninguém tem culpa dessa geração de pais, calar as crianças com celulares e tv, e eles assisti o que quer, e fica berrando quando não da o celular.

meu sobrinho é assim, chega ser insuportável.

1 curtida

as crianças de hoje não sabe brincar.

Agr é culpa da classificação indicativa que os pais dão um celular pros filhos de 5 anos e ficam horas sem monitorar a criança

3 curtidas

Ai amiga eu acho foda

O pior foi o que fizeram com o Youtube por causa disso

1 curtida

o que foi que fizeram ?

né ?
todo canto que eu vou tem uma criança sendo distraída no celular… nem vejo eles mais brincando como antigamente.

1 curtida

os pais de hj em dia só tem filho pra cuidar na fase de bebê mesmo pra poder se mostrar no IG
depois disso joga pro mundo

1 curtida

Imagina se ela se candidata pra presidente?

O YouTube reformulou as suas regras de uso da plataforma, decidindo um detalhe importante e que deve impactar diversos criadores de conteúdo. De acordo com as novas regras, qualquer vídeo que possua características que remetam ser uma produção para crianças, mas que não seja identificada como tal, levará punição ao canal

1 curtida

hummmm…