Danton Mello fala sobre convite para próxima novela das 18h, comenta expectativa para os 50 anos e relembra acidente de helicóptero

Danton Mello é um dos nomes cotados para o elenco deGarota do momento”, nova novela das 18h de Alessandra Poggi. O ator, que recentemente viveu Abílio na série “Justiça 2”, do Globoplay, recebeu o convite diretamente da diretora artística da trama, Natalia Grimberg:

— Eu recebi o convite realmente. A Natalia me ligou, falei com ela uns dois meses atrás. Eu ainda não assinei nada, tem todo um processo. Eles estão fechando o elenco. Não posso dar spoiler, mas já sei do personagem. Adorei a história, o meu núcleo e os nomes que a Natalia está pensando para o elenco.

Longe das novelas desde “Um lugar ao Sol” (2020), Danton acredita que estar no ar em 2025 será simbólico. É que, no ano que vem, “A gata comeu”, seu primeiro trabalho como ator na TV, completará 40 anos de exibição.

— “Garota do momento” está prevista para novembro, então, em 2025, ela estará no ar. Ano que vem é um ano importante para mim. É o ano em que comemoramos 40 anos de “A gata comeu”. Eu adoraria estar no ar, celebrando esta novela tão emblemática, que marcou uma geração. Até hoje as pessoas falam comigo que lembram do Cuca (seu personagem, veja foto abaixo). Eu adoro fazer novela. Gosto do ritmo e da loucura que é gravar muito.

Danton começou a trabalhar como ator aos 5 anos, fazendo comerciais em São Paulo. Em 2020, completou quatro décadas de carreira.

— Eu tenho muito orgulho de olhar para trás e ver tudo o que eu construí, todas as histórias que eu contei, seja na televisão, no cinema ou no teatro. É uma carreira muito bem equilibrada. Eu nunca estudei (atuação). Eu comecei muito cedo. Foram três, quatro anos fazendo comerciais até a mudança para o Rio de Janeiro, para começar a fazer novela. Participei de novelas icônicas, como “Vale tudo”, que vai ter o remake agora, e de “Malhação”, que foi um marco… E penso que eu sou jovem, ainda quero contar muitas histórias. Quero seguir fazendo o que eu amo — diz ele, que tem 49 anos.

Em breve, Danton poderá ser visto nos cinemas com o longa “Mãe fora da caixa”, que tem previsão de estreia para setembro. No filme, ele interpreta um pai de primeira viagem:

— É um filme muito divertido, eu amei trabalhar com a Miá Mello. Ela é uma fofa, uma querida. Acho que todo mundo que é pai ou mãe vai se reconhecer. É um casal de pais de primeira viagem. Mostra todas as preocupações e crises que eles têm. Não existe um manual de experiências da maternidade e da paternidade. Cada criança é individual e tem as suas questões, seu jeito, sua personalidade. (Ser pai) É complicado, mas o maior prazer da vida. Eu falo com orgulho das minhas filhas.

Ele é pai de Luisa Mello, de 23 anos, e de Alice Mello, de 20, frutos de seu primeiro casamento. As duas moram fora do país, mas Danton conta que é um “pai coruja” e mantém uma relação próxima com elas.

— Eu sou muito babão, muito apegado. Estamos sempre juntos, o máximo que eu posso. Elas são a razão da minha vida. Cada trabalho que eu faço, eu faço pensando nelas. Tento ser o melhor exemplo possível para elas, não só como profissional, mas como pessoa. É lindo ver as mulheres em que elas se transformaram. Eu tive que me afastar delas muito cedo. Elas foram morar na Califórnia. Nos primeiros quatro anos era muito sofrimento. Elas estavam sempre nas férias comigo, no Brasil, e eu ia para lá uma ou duas vezes por ano. Eu tenho muito orgulho, são duas mulheres generosas, educadas. Muito lindas.

Em um relacionamento de 11 anos com Sheila Ramos, Danton é só elogios para a mulher:

— A gente se dá tão bem que é impressionante. A gente tem uma harmonia incrível. Ela foi realmente uma luz que apareceu na minha vida. Fez 11 anos que a gente se viu pela primeira vez. Não tem manual para se manter um relacionamento: é parceria. Eu tenho muita admiração pela força dela, pela mulher que ela é. Ela me ajuda pra caramba. É um encontro realmente de almas.

Em 2025, o ator completará 50 anos. Ele conta como enxerga a passagem do tempo:

— Fiz aniversário agora, em maio, então já entrei no meu quinquagésimo ano de vida. Eu já estou vivendo o meu cinquentão (risos). Mas nos 50 anos mesmo eu quero comemorar. Acho que pelo número, é uma coisa simbólica. Mas é um marco que a sociedade inventou. Eu não penso muito nisso. Eu penso em tentar me cuidar, em tentar viver o máximo possível, ter qualidade de vida para poder trabalhar bastante e estar próximo das minhas filhas, da minha esposa, da minha família, do meu irmão (o ator Selton Mello) e dos meus amigos. Eu acho lindo a gente envelhecer, amadurecer. A cada ano que passa a gente vai se conhecendo mais, aprendendo e crescendo. A vida é um grande aprendizado. Estou feliz de ter chegado aos 50. Eu, que tive um grande acidente de helicóptero e quase fiquei pelo meio do caminho, resisti e estou aqui, tentando ser forte.

Em setembro de 1998, Danton sofreu um gravíssimo acidente de helicóptero, em Roraima. Ele explica o que mudou em sua vida após a traumática experiência:

— O acidente, na verdade, reforçou um pensamento que eu tinha antes: de que a gente tem que aproveitar a vida. A gente não sabe o dia de amanhã, a gente não tem controle. Ter sobrevivido só reforçou o pensamento de que a gente tem que viver bem, fazer o bem. É isso que vale na vida. Estar feliz, ao lado das pessoas que a gente ama. Eu tenho o privilégio de fazer o que eu amo e ter, por acaso, virado ator. A gente tem que viver bem e viver o amor.