De olho em Hollywood: Fora da TV, Alexandre Avancini mira cinema gringo e põe brasileiros na guerra da Ucrânia

Sem contrato com a TV brasileira desde 2019, Alexandre Avancini está de olho em Hollywood. O ex-diretor de novelas, que atuou na Globo e na Record, rodou um curta-metragem sobre a guerra da Ucrânia. A produção, intitulada War and Peace conta no elenco com figurinhas carimbadas em suas tramas. O objetivo do cineasta é emplacar o filme no cinema gringo.

Em entrevista ao Notícias da TV, Avancini conta que o recente episódio entre o país do Leste Europeu e a Rússia o motivou a criar o projeto. Estudioso de guerras e cansado de heróis da Marvel, ele afirma ter colhido relatos reais e dramáticos sobre o ocorrido e juntado com histórias de mulheres do exército soviético com o foco de transformá-las em uma espécie de snipers heroínas.

“Hoje você vê uma força militar feminina. Tem mulher que luta ao lado do marido então quis tentar levantar minha voz para falar desses horrores”, diz. Para tocar a ideia, ele mesmo escreveu a sinopse e o roteiro de sete paginas do curta, que servirá para mostrar aos investidores americanos um projeto de longa.

A intenção de Avancini é emplacar para um filme posteriormente. O diretor, inclusive, já trabalha em um roteiro para a futura versão, mas acredita na força do curta na terra do Tio Sam. “Nos Estados Unidos, curta ganha Oscar”. Com uma produtora instalada em Los Angeles, ele reveza o Brasil com sua residência no país da América do Norte, onde também trabalha atualmente com outros projetos para o cinema.

Apesar do novo foco profissional, o sangue da família e o sobrenome famoso --Alexandre é filho de Walter Avancini, ex-diretor de novelas da Globo, como O Cravo e a Rosa (2001), e da Manchete (1983-1999)-- fala mais alto. O diretor assegura que não virou as costas para as novelas. “Se pintar projeto estou dentro. Adoro nossa teledramaturgia”, diz.

Na Globo, Alexandre Avancini dirigiu novelas como Quatro por Quatro (1994), Por Amor (1997) e Uga Uga (2000). Em 2005, migrou para a Record, onde ficou durante 15 anos e dirigiu Prova de Amor (2005), Os Mutantes (2008) e Os Dez Mandamentos (2015). “Os produtores americanos conhecem Os Dez Mandamentos”, orgulha-se o cineasta.

Kiev tupiniquim

Com investimento mais baixos, Alexandre Avancini optou por rodar o curta, durante três dias, no haras Mandala, espaço localizado em Petrópolis, município histórico da região serrana do Rio de Janeiro.

Ele conta que a escolha se deu por ser uma das cidades mais “europeias” do Estado onde mantém residência no Brasil. “Fiquei impressionado porque Petrópolis é igual à Ucrânia”, afirma o diretor, referindo-se até mesmo aos tipos de roupas e os carros que circulam pelas ruas.

No local, ele contou com o apoio de sua equipe de diretores: Denise Sganzerla, Romulo Berto e Max Gleiser, descendente de ucranianos. Os atores também precisaram de treinamento com dublês para o manuseio seguro de armas durante as cenas de confronto e batalhas.

Ao todo, 11 atores compõem o elenco: Jessika Alves, Tammy Di Calafiori, Rayanne Morais, Talita Maia, Marie, Cláudio Heinrich, Letícia Medina, Victor Pecoraro, Mari Cysne, Isa Salmen e Bruno Ahmed.

Nas cenas, o time, frequentemente visto em novelas brasileiras, precisou deixar de lado a língua materna e atuar em inglês e ucraniano. “Não adianta. Americano adora a gente, mas não sabe que língua a gente fala”, explica Avancini.

Snipers de saias

O curta conta a história de cinco protagonistas mulheres que são forçadas a entrar na guerra entre a Ucrânia e a Rússia. Formando um verdadeiro esquadrão de snipers, as ucranianas lutam ferozmente contra o exercito russo para defender a pátria. São elas: Sonya (Talita Maia), Maria (Rayanne Morais), Katia (Tammy Di Calaffiori), Anna (Jéssika Alves) e Helenna (Marie).

Anna, por exemplo, é uma professora que parte para a guerra após ter a família assassinada. Em entrevista ao Notícias da TV, Jessika Alves, intérprete da personagem, conta que a guerrilheira é inspirada em uma história real.

“Estamos contando algo que acontece em tempo real e se não mantivermos o alerta ligado parece que o interesse se perde ou vamos nos acostumando com esse tipo de notícia”, comenta a atriz, que estreia atuando em outra língua em uma produção internacional. Jessika já havia trabalhado com Avancini na segunda temporada de Os Dez Mandamentos (2016), na Record.

Letícia Medina também está na produção como Nathalia, uma soldada ucraniana que vai para a batalha ao lado do namorado. Fã de filmes de guerras, a atriz conta ao Notícias da TV sobre o impacto do filme, que exigiu que ela aprendesse alguns termos em ucraniano, além do manuseio de armas.

“Temos cenas muito fortes de ataques, perda de familiares. Elas [as personagens] veem sua terra ser completamente massacrada”, comenta Letícia, que foi lançada por Avancini na TV, em Prova de Amor. Posteriormente, ela também trabalhou ao seu lado na saga de Os Mutantes.

https://noticiasdatv.uol.com.br/noticia/televisao/fora-da-tv-avancini-mira-cinema-gringo-e-poe-brasileiros-na-guerra-da-ucrania-85979