De socialistas a conservadores: conheça os 31 Bolsonaros nas urnas de 2020.

Alice Cravo e Pedro Capetti

Do dia para a noite, a família Bolsonaro ganhou 31 novos membros. O laço não é sanguíneo e o presidente da República provavelmente nem conhece seus novos parentes, mas dados preliminares do TSE mostram que candidatos por todo o Brasil estão surfando no fenômeno bolsonarista e se registraram como um “Bolsonaro” para concorrer nas eleições municipais deste ano.

Ao todo, 29 candidatos a vereador, um a prefeito e um a vice-prefeito optaram pelo nome da família presidencial nas urnas.

Dos listados pelo TSE, apenas dois são parentes do presidente. Marcos Bolsonaro, candidato à prefeitura de Jaboticabal, em São Paulo, pelo PSL, é primo do capitão da reserva do Exército, assim como Marcelo Bolsonaro, do Democracia Cristã. Dentista, essa concorre pela primeira vez a um cargo público, tentando se eleger vice-prefeito da cidade de Itu (SP).

O prazo para registro da candidatura termina neste sábado e até lá a lista ainda pode crescer, com familiares de “sangue” ou não. O próprio filho do presidente, Carlos Bolsonaro, e a ex-mulher do presidente Rogéria Bolsonaro, que são candidatos pelo Republicanos a vereador na cidade do Rio de Janeiro, ainda não fizeram os registros.

A tentativa de surfar na popularidade do presidente não é exclusividade de apenas um partido. Ao todo, 13 siglas possuem ao menos um candidato que leva o sobrenome Bolsonaro nos santinhos e nas urnas. PSL e Patriota dominam, com seis candidatos cada, mas há espaço até para socialistas.

Em Luís Antônio, no interior de São Paulo, o aposentado Marcos Antonio da Silva tentará a sorte na urna com o nome Marcos Bolsonaro, pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), em busca de uma das vagas para o legislativo municipal.

A família marca presença entre pessoas do sexo masculino e feminino. Do total de candidatura, 22 são de homens. O restante, nove, são compostas por mulheres.

Entre elas, Paula Milani, candidata pelo Partido da Mulher Brasileira (PMB), em Curitiba (PR), que levará o nome “Paula Milani Camp C/ Bolsonaro” para a urna. Nas redes sociais, ela afirma ter sido escolhida dentro do projeto de acampamentos que apoiam o presidente em diversas cidades do país.

O fenômeno se espalhou pelo país. Todas as cinco regiões possuem ao menos um candidato com o sobrenome Bolsonaro. Ao todo, os candidatos estão presentes em 16 estados, com predomínio em São Paulo - 11 dos 31 registrados até a noite de quarta.

Fonte: https://blogs.oglobo.globo.com/sonar-a-escuta-das-redes/post/de-socialistas-conservadores-conheca-os-31-bolsonaros-nas-urnas-de-2020.html

Marcos Bolsonaro, candidato à prefeitura de Jaboticabal, em São Paulo, pelo PSL, é primo do capitão da reserva do Exército, assim como Marcelo Bolsonaro, do Democracia Cristã. Dentista, essa concorre pela primeira vez a um cargo público, tentando se eleger vice-prefeito da cidade de Itu (SP).

Toda a geração de bolsonaros vai pra política