EM 1995: De Mamonas no auge a Galisteu peladona: Como era o mundo no início de Malhação?

Quando Malhação estreou na Globo, em 1995, o mundo era outro. Os Mamonas Assassinas estavam no auge do sucesso, Adriane Galisteu fazia a cabeça dos marmanjos na capa da Playboy, e o dólar valia 80 centavos. Vinte e seis anos depois, a banda ficou na memória dos fãs após um fim trágico, a loira virou apresentadora de A Fazenda 13, e a moeda chegou à casa dos cinco reais.

A novelinha juvenil entrou na grade de programação em abril de 1995. Antes, a emissora exibia a faixa Sessão Aventura --que exibia séries enlatadas e reprises de folhetins. Depois de lançar vários talentos promissores, Malhação sairá do ar no início do ano que vem --as duas temporadas que estavam em desenvolvimento foram canceladas.

Na época da exibição da primeira temporada da trama, o presidente do Brasil era Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Ele assumiu o cargo em janeiro do mesmo ano e terminou seu mandato ao final de 2002.

Durante a gestão FHC, o dólar valia menos de R$ 1. Isso aconteceu porque o governo controlava a cotação da moeda norte-americana para que não houvesse impacto no poder de compra do brasileiro.

No futebol, o Botafogo levou a taça do Campeonato Brasileiro. O cenário é outro em 2021. O time carioca disputa a Série B da competição e sofre com problemas financeiros. Recentemente, a equipe precisou da ajuda de Felipe Neto e Marcelo Adnet para contratar o lateral-direito Rafael.

Nova tecnologia
Em 1995, o Governo Federal começou a se modernizar e criou o Comitê Gestor da Internet no Brasil, para “organizar e integrar as iniciativas relacionadas ao uso e funcionamento” da nova tecnologia no país.

No mesmo ano, os provedores de internet passaram a oferecer o serviço comercialmente para os brasileiros, e os primeiros sites do país entraram no ar, como o endereço eletrônico do Jornal do Brasil e o antigo buscador Cadê.

’Explosão’ na cultura pop
Em 23 de junho de 1995, os Mamonas Assassinas lançaram seu primeiro (e único) álbum de estúdio. A banda de rock virou febre no país inteiro e marcava presença em programas como o Domingo Legal, então apresentado por Gugu Liberato (1959-2019), e o Domingão do Faustão (1989-2021).

A carreira do grupo foi interrompida no auge do sucesso após a morte de todos os integrantes em um acidente aéreo, em março de 1996.

A revista impressa também movia os brasileiros na época. O destaque de 1995 foi a edição de agosto da Playboy. A publicação atingiu quase 1 milhão de exemplares vendidos com o ensaio nu de Adriane Galisteu --que ficou marcada por uma imagem em que aparecia fazendo depilação íntima.

No cenário internacional, o Oscar daquele ano premiou Forrest Gump - O Contador de Histórias (1994) como melhor filme. O protagonista do título, Tom Hanks, também ganhou na categoria melhor ator.

regredimos em tudo mesmo

I just wanna go back, back to 1995

2 curtidas