Em sua 13ª temporada, A Culpa É do Cabral vira terror da edição: 'Grava muito material'

Programa mais longevo do Comedy Central, A Culpa É do Cabral estreia sua 13ª temporada nesta segunda-feira (11). A experiência à frente na atração, porém, não ajuda os cinco humoristas a se controlarem no momento de gravar: são quase duas horas de conteúdo produzido para cada episódio de uma hora (com intervalos).

Apresentador do humorístico, Fabiano Cambota brinca com o rótulo de terror da edição. “Nós gravamos muito material mesmo. Eu sempre falo: depois que acabou a gravação, não é mais problema nosso, eles que lutem (risos)”, diverte-se o também cantor. Ele explica, porém, que a quantidade de conteúdo não serve apenas para dificultar a vida dos editores.

THÁSSIUS VELOSO
Comentarista da GloboNews passa mal ao vivo e interrompe jornal: ‘Você tá mal?’

DE VOLTA NO GLOBOPLAY
Juliana Didone aprova reunião de Malhação 2004, mas foge de reprise: ‘Sou crítica’

“Ter muito material é uma maneira de deixar os convidados mais à vontade. Nós somos cinco comediantes homens, é normal que algum convidado se sinta intimidado, porque acha que vai ser zoado, constrangido. E essa não é a intenção, nós passamos longe disso. Queremos sempre dar risada com a pessoa, só que para isso ela precisar ficar à vontade. Se fazer mais piadas é uma maneira de ajudar nisso, de mostrar que aquele ambiente não é perigoso nem hostil, já valeu a pena [dar mais trabalho aos editores]”, aponta Cambota.

Para o apresentador, um dos motivos da longevidade do A Culpa É do Cabral é a relação entre os cinco humoristas. “A gente se dá muito bem, a gente se gosta muito, e acho que isso transparece para o público. As pessoas conseguem ver o quanto a gente se diverte fazendo, o clima de colônia de férias durante as gravações. Se as câmeras fossem para o camarim depois de cada episódio, ia ter muito mais material, porque as conversas continuam lá.”

Curiosamente, eles não eram todos amigos no início da atração --Rafael Portugal, aliás, sequer conhecia os outros quatro. “Eu já era muito amigo do Nando [Viana], amigo do [Thiago] Ventura, tinha visto o Rodrigo [Marques] duas vezes, e o Rafa ninguém conhecia. Então, acho que o fato de o Cabral ter dado tão certo tem um elemento de sorte também, de ser esses cinco”, diz.

Outro fator que contribui para o sucesso do humorístico? A amizade dos cinco é como um namoro à distância. Eles gravam cada temporada em uma maratona de duas semanas muito intensas, mas só se reúnem novamente para a leva de episódios seguintes --ou seja, o quinteto se junta apenas uma ou duas vezes por ano. “Quando a gente se encontra, tem tanto assunto para colocar em dia que um não enjoa do outro”, explica Cambota.

O músico da banda Pedra Letícia usa o mesmo recurso no casamento --ele e a mulher, Flavia Meni, vivem em casas separadas. “Fiz nove anos de casado na quinta-feira [7], estou com ela há 11, e a gente nunca morou junto. Com o Cabral é igual, cada um tem sua vida, tem a sua carreira, e a gente torce muito um pelo outro, pelo sucesso dos outros.”

A 13ª temporada de A Culpa É do Cabral estreia nesta segunda (11), às 21h, no Comedy Central, com um novo episódio toda semana. Os capítulos também são disponibilizados no Paramount+. Entre os convidados da nova leva estão nomes como Os Barbixas, Karol Conká, Lexa, Heloisa Périssé, Cléber Machado e Silvetty Montilla.

https://noticiasdatv.uol.com.br/noticia/televisao/em-sua-13-temporada-a-culpa-e-do-cabral-vira-terror-da-edicao-grava-muito-material-108300