EXCLUSIVO: Justiça manda citar Luísa Sonza em ação contra produtora

Em despacho do último dia 19, a Justiça de São Paulo determina a citação de Luísa Sonza no processo movido pela Chantilly Produções, após a artista ter enviado um telegrama em outubro do ano passado, rompendo o contrato com a produtora.

Em sua decisão, o juiz Carlos Eduardo Santos Pontes de Miranda, da 2ª Vara Civil de São Paulo, determinou que apenas Sonza seja citada, excluindo as sociedades Luísa Sonza & Cia Ltda. e Music2 Publicidade Digital Ltda., porque não existe pedido contra elas no processo.

Após esta coluna noticiar a ação contra Luísa Sonza, a cantora, através de sua assessoria, inicialmente disse que até então desconhecia o processo. Nas redes sociais, ela chegou a comentar as acusações o compartilhar o comentário de um fã, que dizia que ela estava sendo processada por se recusar a fazer shows na pandemia. “Quando eu acho que nada mais me surpreende”, escreveu a artista ao compartilhar o comentário do fã.

A Chantilly, no entanto, alega que quem rompeu a parceria foi Luísa, por meio de um telegrama enviado à empresa, no qual ela cita como justificativa para o distrato uma cláusula de não atingimento de metas (shows) acordada no momento da assinatura do contrato, o que ocorreu antes da pandemia. A Chantilly então alega que não havia como cumprir as metas de shows esperadas por conta da pandemia e que, os poucos shows que conseguiu fechar para Luísa no formato drive-in, a cantora teria se recusado a fazer.

“Chantilly Produções”

morta