FINALMENTE: Leticia Spiller volta à Globo em Tutti Frutti

Com No Rancho Fundo completando um mês de exibição, no próximo dia 15, a Globo acelera os trabalhos de Tutti Frutti. A novela de Alessandra Poggi, com direção artística de Natalia Grimberg, ocupa o horário das seis em novembro. A produção vai marcar o retorno de Leticia Spiller à emissora.

O último trabalho de Leticia na casa foi O Sétimo Guardião (2018), às 21h. O contrato fixo entre as partes chegou ao fim em 2021. Desde então, Spiller se dedica às séries para o streaming, como a segunda temporada de Cidade Invisível (2023, Netflix) e A História Delas (2023, Star+).

A coluna tentou, mas não descobriu detalhes do papel reservado para Leticia Spiller em Tutti Frutti. Atriz e autora estiveram juntas em Os Dias Eram Assim (2017), supersérie também assinada por Angela Chaves. Leticia também tem familiaridade com a década de 1950, retratada no novo folhetim, desde que protagonizou Esplendor (2000), às 18h.

Carreira

Leticia Spiller estreou na Globo em 1989, através do Xou da Xuxa. Três anos depois, ela deixou o grupo Paquitas para integrar o elenco de Despedida de Solteiro. A virada na carreira se deu em 1994, como Babalu, de Quatro por Quatro. Spiller foi escolhida para a personagem após Adriana Esteves declinar do convite.

Durante as gravações da trama de Carlos Lombardi, a química da atriz com Marcello Novaes, o Raí, se estendeu para a vida real. Os dois são pais de Pedro, ator e músico – cotado para uma das figuras centrais de Tutti Frutti.

Outros trabalhos de destaque da artista foram O Rei do Gado (1996), Zazá (1997), Suave Veneno (1999), Sabor da Paixão (2002), Senhora do Destino (2004), Duas Caras (2007), Viver a Vida (2009), Salve Jorge (2012), Joia Rara (2013), Boogie Oogie (2014), I Love Paraisópolis (2015) e Sol Nascente (2016).

Anos dourados

Tutti Frutti terá Duda Santos, a Maria Santa de Renascer, como protagonista – uma moça que ascende socialmente como modelo, em meio às investidas em publicidade e na televisão, então novidades no Brasil.

A moda foi um dos temas da empreitada anterior de Alessandra Poggi, a bem-sucedida Além da Ilusão (2022). Isadora (Larissa Manoela) despontava como estilista, usando um codinome, em um concurso promovido pela tecelagem de sua família. Dorinha chegava a vestir a então primeira-dama Darcy Vargas (Ana Carolina Rainha).

Já a década de 1950 foi revisitada pela Globo na minissérie Anos Dourados (1986), de Gilberto Braga. O êxito da produção rendeu outra investida no período, a novela Bambolê (1987), de Daniel Más – Braga atuou como consultor. Os dois títulos estão disponíveis no Globoplay.

@Noveleiros

vai flopar, a diva tem pé frio

1 curtida

esquece

Capaz disso indicar que o nepobaby dela com o Marcello Novaes ficou com o protagonista

I Love Paraisópolis KKKKK

A surra no Marcelo

Ela é ótima atriz

Tb olha o título, o que esperar de uma novela chamada tutti frutti PQP viu, desse jeito não tem como defender

é o titulo mais original do que dessas últimas novelas com título podre parecendo de web novela kkk

1 curtida

Ela buscando grana pra continuar sustentando o N****

o título tá ótimo, super cara de novela das seis clássica kkkk

Verdade cafona e brega igual kkkk

Apaga agora

1 curtida

Mas pode ser que seja camp, então será uma cafonice proposital e consciente de si

“finalmente”
Mas ninguém tava pedindo amigo

Anyway diva

eu pedi