Fiocruz registra aumento de casos graves e mortes por Covid em idosos no Rio

Um estudo da Fiocruz mostra aumento nos números de casos graves e de mortos por Covid entre idosos no Rio. É a primeira vez, desde fevereiro, que o número de mortos pela doença cresce entre as pessoas de 60 anos ou mais na cidade.

O estudo mostra ainda que o número de pessoas internadas com 80 anos ou mais atingiu o maior patamar desde o início da pandemia: 848 , em uma semana.

Também foram registradas 175 mortes nessa faixa etária , de acordo com a estimativa da última semana epidemiológica, o mais alto desde abril.

“Se não tivesse a vacina, esses números nessa população seriam ainda maiores. Se a gente facilita a transmissão, vai acabar afetando também a população já vacinada, mesmo com a segunda dose. A gente tem a transmissão por escolhas nossas e uma variante mais transmissível. Então quando a gente junta as duas coisas, a gente tem um cenário extremamente preocupante”, diz o pesquisador Marcelo Gomes, da Fiocruz.

Segundo a Prefeitura do Rio, o município está se tornando o epicentro da variante delta no país. A cidade tem 93% dos idosos com a imunização completa e já planejou a aplicação da terceira dose da vacina nas pessoas com mais de 60 anos.

“A princípio no nosso calendário, está previsto para gente vacinar os maiores de 80 anos no mês de outubro, os maiores de 70 anos no mês de novembro e os maiores de 60 no mês de dezembro. Claro que, se a gente conseguir ter evidências sólidas e científicas claras para isso, é muito importante que o Ministério da Saúde também se planeje para compra dessas vacinas para que a gente não seja surpreendido, se de fato for necessário, de não ter vacina na época”, diz Daniel Soranz, Secretário de Saúde do Rio.

“A gente tem que continuar, principalmente com a questão das máscaras adequadas justamente ajustadas no rosto. Se a gente acha que o problema acabou simplesmente porque a gente está com a vacina. Aí não tem jeito. Volta esse cenário que a gente está vendo agora de retomada do crescimento”, alerta Marcelo Gomes.

@Coroners

Esse inferno não vai acabar nuncaaaaa

GENTE?

Isso nunca vai acabar né, prevejo que ainda vai demorar muito pra estabilizar nos números baixos

Sempre quando pensamos que está diminuindo, vem uma alta

Os idosos precisam de uma dose de reforço URGENTE, a coronavac pelo que parece só apresenta menos de 40% de proteção pra eles, ela é muito mais eficaz pros abaixo de 50 né

1 curtida

Fora que aqui o povo já tacou o foda-se lindamente também há tempos, e agora até quem eu conheço que era mais cuidadoso agora tá aglomerando FIRME em bar lotado na Lapa

1 curtida

Mas os do rio a maioria foi com a Astra

deviam dar pfeizer pra os mais velhos
ja que é a que protege mais

2 curtidas

No começo praticamente só tinha a coronavac, ontem peguei o cartão de vacinação do meu padrasto que tem 75 anos e tinha fiocruz lá escrito

1 curtida

Fiocruz é astrazeneca
Se tivesse Butantã aí seria Coronavac

8 curtidas

Bicha??

A dose de reforço tem que começar assim que vacinarem o povo de 18+, esse negócio de vacinar adolescente agora deveria ser revisto

3 curtidas

Exatamente

Até pq, vacinando todos os adultos já temos uma boa cobertura vacinal

5 curtidas

Quem sair por ultimo apaga a luz

amigo? Fiocruz é da Astra

1 curtida

foi como falei são idosos nenhuma vacina protege eles como a gente mais jovem, qualquer coisa abate eles, precisam de um terceira dose urgente, todos idosos precisam se reforçar, seja coronovac, astra ou pfizer.

1 curtida

tinham que começar a revacinação mas não temos vacinas pra isso

A maioria absoluta dos idosos +80 do país foram vacinados com Coronavac, era a vacina disponível. Idosos já são conhecidos pela resposta imunológica mais fraca, definitivamente eles precisam de um reforço urgente com a vacina de maior proteção possível

3 curtidas

Bjs

Eu sei, justamente por isso fiquei feliz amore, eu não demonizo a coronavac inclusive ficaria feliz se tomasse ela, mas em idosos é necessário cautela porqur a taxa é muito baixa pra eles

2 curtidas

1 curtida