FOFOCAS: De família real a presidente: Personagens históricos são devassados em novelas

Nos Tempos do Imperador, novela das seis inédita que estreou nesta segunda (9) na Globo, retrata parte da vida de dom Pedro 2º, com seus desafios políticos e suas intimidades da vida amorosa revelados. Antes dele, outros personagens reais da história do Brasil já tiveram suas trajetórias exploradas e devassadas em novelas e minisséries de TV.

A família real portuguesa foi tema de Novo Mundo (2017), cuja trama antecedeu os acontecimentos de Nos Tempos do Imperador. Dom Pedro 1º foi interpretado como um mulherengo por Caio Castro, mas não tão devasso quanto a versão feita por Marcos Pasquim em O Quinto dos Infernos (2001).

A minissérie JK (2005) também retratou uma figura política, mas mais recente, com suas crises institucionais e conjugais: o presidente Juscelino Kubitschek (1902-1976).

Relembre cinco produções de ficção que tiveram personagens famosos da história do Brasil em seus capítulos:

Família real portuguesa
A vinda da família real portuguesa para o Brasil rendeu muitas histórias e fofocas, retratadas em novelas e minisséries. Novo Mundo mostrou uma versão romantizada do triângulo amoroso entre dom Pedro 1º (Castro), Leopoldina (Leticia Colin) e a marquesa de Santos (Agatha Moreira), na qual o público ficou ao lado da monarca.

Já em O Quinto dos Infernos, a família real foi exibida de forma mais debochada. A minissérie mostrou a gulodice de dom João 6º (André Mattos) e as muitas escapadas do casamento de dom Pedro (Pasquim).

Xica da Silva
Ainda no Brasil Colônia, uma figura explorada na TV foi a de Xica da Silva (1732-1796). A novela de Walcyr Carrasco, exibida entre 1996 e 1997 e protagonizada por Taís Araujo na Manchete, se utilizou de doses de ficção e erotismo para contar a até então pouco conhecida história da escrava que chocou a sociedade ao se envolver com um homem branco e passar a ostentar as benesses dessa união. A atração retratou parte do cotidiano de uma cidade de Minas Gerais no século 18.

Giuseppe e Anita Garibaldi
A minissérie A Casa das Sete Mulheres (2003) contou uma história romantizada da Revolução Farroupilha (1835-1845) no Rio Grande do Sul. Vários personagens que de fato existiram apareceram na história parte ficcional, parte baseada em fatos reais, como o militar Bento Gonçalves (1788-1847, papel de Werner Schünemann), o guerrilheiro Giuseppe Garibaldi (1807-1882, interpretado por Thiago Lacerda) e Anita (1821-1849, vivida por Giovanna Antonelli), a mulher catarinense que se encantou por ele e passou a lutar ao lado do galã nas batalhas. O romance entre Giuseppe e Anita contou com várias cenas quentes na minissérie.

Juscelino Kubitschek
A vida do presidente Juscelino Kubitschek foi representada na minissérie JK. Os 47 capítulos trataram do nascimento até a morte do político. O foco principal foi a vida parlamentar dele e o planejamento e a construção de Brasília, mas a atração também retratou a vida familiar de JK e uma relação extraconjugal que ele manteve.

Tarsila do Amaral e modernistas
A minissérie Um Só Coração foi ao ar em 2004 como homenagem aos 450 anos da cidade de São Paulo. Vários personagens famosos que viveram na metrópole foram retratados, como o escritor Mário de Andrade (1893-1945, interpretado por Pascoal da Conceição) e a pintora Tarsila do Amaral (1886-1973, vivida por Eliane Giardini).

A artista teve um relacionamento intenso com o poeta Oswald de Andrade (1890-1954, papel de José Rubens Chachá). O romance chegou ao fim quando ele a trocou por Patrícia Galvão (1910-1962), a Pagu (interpretada por Miriam Freeland), e a tristeza de Tarsila pelo término fez parte de capítulos da atração.

eles podiam aproveitar pra disponibilizar as minisséries clássicas no Globoplay, salvo engano a única que botaram foi Hilda Furacão

Deve vir mais nos próximos meses com certeza, por enquanto começaram com a Hilda Furação