Gabriela Medvedovski diz que sua personagem em Nos Tempos do Imperador a fez questionar final feliz e rever o amor perfeito

Gabriela Medvedovski confessa que sempre desconfiou dos “felizes para sempre” a cada último capítulo de novela, mas assume que Pilar a fez questionar as próprias certezas em Nos Tempos do Imperador. A atriz vê no romance da jovem com Jorge/Samuel (Michel Gomes) um fio de esperança em meio a relacionamentos cada vez mais superficiais no século 21.

“É tão bonito falar de amor hoje em dia em que as relações são tão simplórias. A internet fez com que a gente se aproximasse e, ao mesmo tempo, ficasse distante. A paixão deles é tão profunda que nos faz reconectar, não com a ideia da metade da laranja, mas alerta que podemos estabelecer conexões mais profundas com as pessoas”, avalia a intérprete ao Notícias da TV.

A artista ainda frisa que, nos próximos capítulos, o telespectador compreenderá que os personagens não vão se unir apenas por conta de um encantamento à primeira vista, em que Pilar o salvou de morrer com uma bala de Tonico (Alexandre Nero) cravada no ombro.

“Eles têm uma mentalidade à frente do seu tempo, não veem a cor dentro do amor. Os dois também se conectam nesse lugar de serem revolucionários, cada um dentro da própria luta. É justamente isso que vai fazer com que fiquem juntos”, analisa.

A irmã de Dolores (Julia Freitas/Daphne Bozaski), inclusive, surpreenderá nas cenas que serão exibidas a partir da próxima segunda (16) em que recusará um pedido de namoro de Jorge/Samuel. Afinal, ela deixará bem claro que quer focar primeiramente nos estudos para enfim se juntar à faculdade de Medicina depois de ser arrancada do teste de admissão pelo pai, Eudoro (José Dumont).

Briga de titãs
Pilar não enfrentará apenas a própria família ou o preconceito da sociedade para viver esse amor, mas também a resistência de Zayla (Alana Cabral/Heslaine Vieira). A nobre africana ajudará os pais a acolher pessoas negras alforriadas na Pequena África e, nas horas vagas, brigará pela atenção de Jorge/Samuel.

A trama, aliás, marca o reencontro das atrizes em uma posição bastante distinta da amizade de Keyla e Ellen em Malhação: Viva a Diferença (2017). “A gente se conhece e se provoca muito bem em cena, mas é uma experiência diferente viver esses embates com a Heslaine. As duas vão bater muito de frente”, adianta.

Gabriela também atuará com Daphne Bozaski, que fez a autista Benê no folhetim de Cao Hamburger, e “reencarnará” como sua irmã na segunda fase da trama de época.

“Ela é quase minha irmã na vida real, porque temos uma história de vida muito parecida. Nós inclusive moramos no mesmo prédio na época das gravações, então levamos bastante dessa experiência pessoal para a tela”, arremata a intérprete.