Há 37 anos Madonna lançava Material Girl como o segundo single do álbum Like A Virgin.

Ao longo dos anos, Madonna foi apelidada como uma “garota materialista”, e comentou que se arrepende de ter gravado a canção por ter sido conhecida como uma mulher que não se importa com o amor. A faixa tem sido usada como uma influência para mulheres e foi um objeto central de vários debates, além de ser uma das canções de maior destaque da discografia da Rainha do Pop.

Em termos líricos, a música identifica-se com o materialismo e trata de uma jovem que propõe a seu amante uma vida de riquezas e luxos, concluindo que joias são mais importantes do que o amor. Críticos contemporâneos têm frequentemente citado “Material Girl” e “ Like a Virgin " como as canções que tornaram Madonna um ícone. Foi um sucesso comercial, qualificando-se entre as dez primeiras colocações na Austrália, na Bélgica, no Canadá, na Irlanda, no Japão e no Reino Unido. Nos Estados Unidos, tornou-se a terceira canção de Madonna a listar-se entre as cinco primeiras colocações ao atingir a vice-liderança da Billboard Hot 100.

O vídeo musical correspondente foi dirigido por Mary Lambert e filmado entre os dias 10 e 11 de janeiro de 1985 em Hollywood, Califórnia. Inspirado pela interpretação de Marilyn Monroe do número “Diamonds Are a Girl’s Best Friend”, contida no filme Gentlemen Prefer Blondes (1953).

Madonna performou “Material Girl” nas turnês:

The Virgin Tour (1985)

Who’s That Girl Tour (1987)

Blond Ambition Tour (1990)

Re-Invention Tour (2004)

e

Hebel Heart Tour (2016)

Vídeo musical

Em uma entrevista com o periódico New York Daily News , Madonna disse:

Bem, a minha cena favorita de todos os filmes de Marilyn Monroe é quando ela faz a sequência de dança de ‘Diamonds Are a Girl’s Best Friend’. E quando chegou a hora de fazer o vídeo para a canção [Material Girl], eu disse: ‘eu posso apenas refazer toda aquela cena e vai ser perfeito’. (…) Marilyn foi transformada em algo que não é humano de alguma forma, e eu posso me relacionar com isso. A sua sexualidade é algo que todo mundo estava obcecado e que eu podia me relacionar. E havia certas coisas sobre a sua vulnerabilidade que eu estava curiosa e me senti atraída.

O vídeo musical foi filmado entre os dias 10 e 11 de janeiro de 1985 nos estúdios Ren-Mar, situados em Hollywood, Califórnia e foi dirigido por Mary Lambert, que já havia trabalhado com Madonna nos vídeos musicais de “Like a Virgin” e “Borderline”.

Foi no vídeo de “Material Girl” que Madonna começou a ser comparada a Monroe. No entanto, ela estabeleceu uma distância segura entre essas comparações e as desenvolveu dentro do mesmo pastiche. Detalhes como o uso de luvas diferentes ou leques diferentes no vídeo trouxeram as conexões entre essas mulheres, mas Madonna fez uma alusão a si mesma de uma forma sutil.

O leque na mão de Monroe na versão original é uma iconografia da roda de Sudarshana Chakra, do ídolo indiano Vishnu. Em uma análise feita para o seu livro Madonna as a Postmodern Myth: one star’s self-construction rewrites sex , o autor Georges-Claude Guilbert disse que o leque na mão de Madonna simboliza o desejo ardente despertado por Monroe, bem como o sacrifício ritual, prenunciando assustadoramente sua morte prematura em 1962. O leque de Madonna, que apareceu no final do vídeo, significa que Madonna — ao prestar sua homenagem a Monroe — fez a sinalização de que ela não tinha intenção de ser uma vítima como Monroe, e que ela estava no caminho de se tornar um mito feminista pós-moderno. O autor Nicholas Cook comentou que o vídeo promoveu a identidade de Madonna como a canção sugere, com o objetivo de mudar "a imagem de Madonna desde a de um bimbo de música disco até uma estrela autêntica”. Lisa A. Lewis, autora de Gender, Politics and MTV , disse que com o vídeo, Madonna conseguiu a rara distinção de ser aceita como um meio de literatura pelos autores de música. O vídeo de “Material Girl” foi nomeado na categoria de Best Female Video durante os MTV Video Music Awards de 1985.

Algumas regravações pois são MUITAS

Em 2010, o cantor Elton John realizou uma regravação de “Material Girl” no Rainforest Fund Benefit Concert.

Britney Spears apresentou a canção em sua turnê …Baby One More Time, citando Madonna como as suas maiores inspirações.

A banda Exhumed regravou a canção como parte do CD bônus da edição limitada de seu álbum Platters of Splatter (2004).

*A cantora islandesa Hafdis Huld apresentou a faixa nos festivais musicais The Secret Garden e The Big Chill em 2007.

Em seu concerto esgotado feito em 16 de maio de 2009 no Auditório Nacional da Cidade do México, a artista mexicana Yuridia realizou uma regravação de "Material Girl”.

Uma regravação no estilo de folk rock feita por Mountain Party foi incluída na compilação Through the Wilderness (2007), feita em homenagem à Madonna.

A canção “Marteria Girl”, do rapper alemão Marteria, possui demonstrações a Madonna em seu refrão.

“Material Girl” foi usada como parte da mistura “Diamonds Sparkling”, do filme Moulin Rouge! 2001. Três anos depois, a faixa foi usada no filme Bridget Jones: The Edge of Reason. Em 2006, o jogo de ação e ritmo Elite Beat Agents, da Nintendo DS, apresentou uma regravação da música em um dos níveis do jogo. O nível apresenta duas celebridades debutantes presas em uma ilha deserta. A canção também apareceu nos jogos Karaoke Revolution Party e Wii Music , um videogame da Nintendo lançado em 2008.

:sob: Madonna comentou diversas vezes que “Material Girl” é a canção que mais lamenta ter gravado, pois ela tem sido associada à canção por diversas décadas. Ela também disse que se soubesse disso, provavelmente teria nunca gravado a faixa. :sob:

Madonna disse ao autor J. Randy Taraborrelli :

Eu não posso desprezar completamente a música e o vídeo, pois eles certamente foram importantes para a minha carreira. Mas falar sobre os meios de comunicação pendurados em uma frase e interpretar mal a coisa também. Eu não compus essa música, você sabe, e o vídeo era sobre como a garota rejeitou diamantes e dinheiro. Mas Deus que me perdoe de como a ironia deve ser entendida. Então, quando eu estiver com noventa anos, eu ainda vou ser a garota materialista. Eu acho que não seja tão ruim. Lana Turner foi a garota da camisola até o dia em que ela morreu.

6 curtidas

A bomba

Vem amores

@Madgefans

1 curtida

Bombinha

Ai gente, o album é bomba mesmo, mas MG hino. se fodem

2 curtidas

eu amo

um clássico pop, clipe icônico. Madonna tem uma carreira incrível

4 curtidas

Uma das minhas preferidas dela

1 curtida

Hino, sem mais.

1 curtida

Clássico do pop anos 80.

Clipe maravilhoso

2 curtidas

Essa música voltou a morar na minha cabeça há algumas semanas, é uma das poucas que eu realmente gosto no Like a Virgin.

1 curtida

Na minha sempre morou

1 curtida

Amo

Hino.

amem