Há 55 anos, Globo estreou programa de namoro que teve escândalo ao vivo

Em 6 de agosto de 1967, a Globo estreava um programa que seria precursor de outros de namoro: Casamento na TV. Apresentado e dirigido por Raul Longras (1916-1990), a atração ficou no ar até 1969 e contou com um episódio inusitado ao vivo. Uma mulher grávida invadiu o estúdio e acusou um candidato a noivo de outra mulher de ser o pai do filho que estava esperando.

Transmitido nas noites de domingo na faixa das 19h, o formato consistia em ter os candidatos perfilados no palco: mulheres de um lado, homens do outro. Todos se sentavam, e Longras perguntava a alguma pretendente: “Como você imagina o homem ideal?”. Ela, então, respondia: “Eu quero um homem que seja sincero, bonito, honesto e trabalhador.” Repetia-se a pergunta a um candidato do sexo masculino, que respondia: “Eu quero uma mulher que seja sincera, fiel e que viva para mim e para os nossos filhos.”

Quando os candidatos resolviam se casar, a Globo bancava a cerimônia religiosa numa igreja próxima à emissora e oferecia até uma recepção em seu terraço, conforme relatado no site Memória Globo.

Os patrocinadores presenteavam os noivos com alianças, cartório, igreja, bolo, champanhe, roupas de cama, móveis e uma viagem de lua de mel. A atração apresentada por Longras chegou a realizar de 10 a 15 casamentos por mês. Após o namoro na TV, muitos fãs e admiradores iam até à igreja ver tudo ao vivo.

Casamento na TV teve invasão de grávida

Apesar de ter perdurado por dois anos no ar, o programa não alcançou o sucesso esperado. Um incidente acabou entrando para a história da televisão brasileira. Com autorização da produção, uma moça grávida interrompeu a atração e surpreendeu um candidato a noivo, acusando-o de ser pai do seu filho.

Segundo o diretor Ruy Mattos, no dia seguinte, o caso estava em todos os jornais com o título: “Escândalo na TV”. Depois disso, o programa teve a duração ampliada para uma hora (tinha 45 minutos) e passou a contar com atrações musicais.

A fila de interessados em se casar era longa, conforme relata o filho do apresentador, José Longras, em entrevista ao Jornal do Brasil em julho de 1992. “Eu me lembro que havia uma equipe, com o detetive Marrom, que fazia um levantamento da vida pregressa dos candidatos. Muitas vezes descobria-se que havia gente casada querendo casar novamente”, recordou.

Casamento na TV foi precursor do gênero

Há 55 anos, Globo estreou programa de namoro que teve escândalo ao vivo

Programa de casamento terminou na Excelsior - Foto: Divulgação

Ao todo, Raul Longras realizou 148 casamentos na Globo e 34 na TV Excelsior (1960-1970), para onde o programa se transferiu depois. O apresentador dizia que os homens o procuravam porque sofriam de timidez aguda, enquanto as mulheres apenas buscavam um rapaz que assumisse um compromisso de verdade.

A ideia do Casamento na TV, segundo Longras contou numa entrevista em 1970 à revista Intervalo, surgiu numa viagem de Boni aos Estados Unidos. “Boni foi aos Estados Unidos e viu esse programa lá. Aí disse: ‘No Brasil há um cara-de-pau que faria esses casamentos’. Esse cara-de-pau era eu. E dei 78 de Ibope”, orgulhou-se.

A vida dando uma de Walcyr Carrasco.