Ítala Nandi, a Madeleine da primeira versão de Pantanal, fala da morte da personagem após pedir para sair da novela de Benedito Ruy Barbosa

Ítala Nandi interpretou Madeleine na versão original de “Pantanal” e, de certa forma, contribuiu para o desfecho trágico da personagem num acidente aéreo, mantido na adaptação atual. A morte dela não estava prevista na sinopse, mas foi a alternativa encontrada pelo autor, Benedito Ruy Barbosa, após a atriz pedir para deixar o elenco da novela.

Ítala conta que sair de “Pantanal” foi uma das decisões mais difíceis de sua carreira. O motivo foi uma inesperada oferta de patrocínio do governo da Índia para o projeto de um documentário que ela havia desenvolvido: “Índia - o caminho dos deuses”.

  • Eu dediquei 15 anos da minha vida no roteiro daquele documentário. Muito antes de a novela começar, eu enviei uma proposta para a Embaixada da Índia pedindo um patrocínio para fazê-lo. Aí o tempo passou, e eu nem estava mais pensando nisso. Durante as gravações da novela, eles toparam financiar o projeto, desde que ele fosse produzido até o final daquele ano. Eu fiquei numa situação muito complicada, mas não tinha como aceitar - explica.

Ela conta que enfrentou uma grande pressão para que não deixasse a novela:

  • A minha família foi totalmente contra. Eles queriam que eu continuass. Eu também amava fazer “Pantanal”. Quando fui conversar com o Jayme Monjardim ( diretor ), fui aos prantos. O Benedito, por quem eu tenho um enorme respeito e admiração, não aceitou bem. Ele não me perdoou até hoje por isso. E eu entendo, porque na sinopse original a Madeleine teria uma história muito bonita. Ela seria resgatada com vida e desmemoriada do acidente pelo Velho do rio e passaria por uma grande transformação, para no fim reencontrar o José Leôncio. A minha saída impediu que ele desenvolvesse essa história. Até por isso fiquei muito surpresa por eles terem mantido o desfecho agora no remake.

Ela comenta que logo depois viajou para a índia e não acompanhou o restante da novela:

  • Quando eu voltei para o Brasil, já tinha acabado. Eu só fiquei sabendo que tinha sido um sucesso avassalador. Só consegui assistir mesmo anos depois, quando ela foi reprisada no SBT.

A atriz completa 80 anos no próximo dia 4. Parte das comemorações será no palco. Por conta disso, ela confessa que não tem conseguido acompanhar a nova versão de “Pantanal”. Ítala estreou nesta quinta-feira (26), em Porto Alegre, o espetáculo “Paixão viva”, solo em que faz um resumo dos seus 65 anos de carreira. Entre os momentos marcantes, está o espetáculo “Na selva das cidades” (1969), do Teatro Oficina, em que protagonizou o primeiro nu frontal feminino do teatro brasileiro. Ela tinha 25 anos.

  • Na época, eu não sabia que nunca tinha ocorrido um nu frontal feminino nos palcos brasileiros. Essa cena não existe no texto original do Bertolt Brecht. Foi uma sugestão minha e acho que foi muito pertinente para a personagem. Eu acredito que amor e nudez têm uma entidade em comum e quis colocar isso na minha personagem. Antes da estreia, fizemos a apresentação para a censura da ditadura e aprovaram. Não imaginava que teria toda a repercussão que teve - diz.

Ela ressalta que sofreu muitas represálias por conta do ato, inclusive dentro da sua própria família.

  • Alguns tios não deixavam meus primos falarem comigo. Era uma época em que havia uma mentalidade de que ser atriz era ser puta. E eu sempre fui muito libertária e lutei contra isso. Não aceitava o fato de uma mulher ser julgada pelas suas escolhas enquanto os homens não passavam por isso.
1 curtida

eles não deveriam ter matado a maddy
ATE A ITALA ACHOU ESTRANHO

Itala lenda
Amo ela em Mutantes

eu nem sabia da história direito, o povo fica falando como se ela só tivesse saído pra fazer um filme qualquer. imagina se dedicar por 15 anos a um projeto, finalmente ter a chance de fazer dar certo, óbvio que ela ia escolher isso

o drama