JUSTA CAUSA: Assédio, agressão e homofobia: Dez atores demitidos por mau comportamento

Conseguir um papel de protagonista em uma novela ou série de TV é o sonho de muita gente, um momento considerado o auge na carreira de um ator. Mas muitos profissionais perderam boas oportunidades por apresentarem comportamentos condenáveis. Há casos de assédio sexual, agressão, intrigas e homofobia, por exemplo.

Na Globo, a demissão mais marcante dos últimos anos foi a de José Mayer. Ele caiu em desgraça após as denúncias de assédio sexual feitas por uma figurinista e admitidas pelo próprio. O ator foi desligado em 2019 e abandonou a carreira.

Já nos Estados Unidos, há ainda mais casos de assédio --os atores Kevin Spacey e Chris Noth são dois exemplos de profissionais que perderam papéis por denúncias de escândalos sexuais.

Relembre dez casos de atores demitidos por mau comportamento:

José Mayer

A carreira de José Mayer na Globo acabou após ele ser acusado de assediar sexualmente uma figurinista da novela A Lei do Amor (2016). Foram vários episódios relatados pela funcionária --em um deles, Mayer colocou a mão esquerda na genitália dela. Em carta aberta, o ator admitiu os ataques à profissional e pediu desculpas.

Com o escândalo, a Globo afastou Mayer das produções em 2017, mas decidiu não renovar o contato com ele e encerrar o seu vínculo apenas em 2019, depois de 35 anos de casa.

Dado Dolabella

Dado Dolabella teve uma briga bem mais séria com um produtor da Record, que culminou em sua demissão. Durante gravações de Vitória (2014) na ilha de Curaçao, no Caribe, Carlos Henrique Andrade acusou Dolabella de empurrá-lo de uma escada durante uma discussão (que teria começado após o ator xingar uma funcionária que levava café aos estúdios).

O laudo do exame de corpo de delito do produtor deu negativo, e o ator negou agressão física, só confirmou que houve um desentendimento. Mesmo assim, o personagem dele, que seria o protagonista, foi tirado da trama, e Dolabella foi demitido. Rodrigo Phavanello o substituiu na história.

Bruno Gagliasso

Em novembro de 2019, o contrato de Bruno Gagliasso com a Globo foi encerrado. O ator afirmou que a decisão foi tomada em comum acordo com a empresa, mas nos bastidores a história foi outra. Segundo fontes do Notícias da TV na cúpula da emissora, a avaliação interna foi a de que Gagliasso não abraçou seu personagem em O Sétimo Guardião (2018) como se esperava de um protagonista.

Para piorar, o ator curtiu postagens em redes sociais em que telespectadores criticavam a história dos guardiões de uma fonte da juventude, o que foi considerado falta de profissionalismo e mau comportamento de sua parte. A conclusão foi de que Gagliasso não queria mais fazer novelas e que isso estava atrapalhando seu desempenho à frente das câmeras.

Charlie Sheen

Em 2011, Charlie Sheen entrou numa onda de alto consumo de drogas e álcool, o que prejudicou muito seu trabalho e sua imagem pública. Ele ainda fez questão de criticar a própria série de que era protagonista, Two and a Half Men (2003-2015). O resultado foi a demissão do ator da atração. Ashton Kutcher entrou para o elenco para suprir o espaço deixado e ficou em Two and a Half Men ao longo de quatro temporadas.

Clayne Crawford

Clayne Crawford era um dos protagonistas de Máquina Mortífera (2016-2019), e na série a violência não acontecia apenas em cena: o ator foi acusado de ter ataques de fúria nos bastidores, atitudes abusivas e de colocar as vidas dos colegas em risco. Por isso, a Fox optou por demiti-lo, e um novo ator, Seann William Scott, entrou para o elenco principal. Crawford chegou a pedir desculpas por seu comportamento e disse que não queria prejudicar o trabalho de ninguém.

Kevin Spacey

Um escândalo de assédio sexual motivou a demissão de Kevin Spacey de House of Cards (2013-2018). Oito funcionários que trabalharam com Spacey na série da Netflix o acusaram de assédio e comportamento inadequado. Também veio à tona um caso de estupro cometido pelo ator contra Anthony Rapp, que tinha 14 anos quando foi abusado pelo ex-astro de Hollywood.

Kevin Spacey admitiu sua culpa e foi totalmente desligado da série –teve até de pagar uma indenização à produtora. House of Cards continuou por mais uma temporada, que foi protagonizada apenas por Robin Wright.

Isaiah Washington

O ator foi demitido de Grey’s Anatomy em 2007 por ter feito comentários homofóbicos contra seu colega de elenco, T. R. Knight, que fazia o papel do Dr. George O’Malley. A intolerância não foi tolerada pela equipe da série médica. Washington chegou a retornar à atração para uma participação especial em um episódio, mas não agradou aos fãs mais fiéis.

Shannen Doherty

Ela foi demitida não apenas de uma, mas de duas séries. Em 1994, deixou o elenco de Barrados no Baile (1990-2000), atração em que fazia um dos papéis principais. Na época, especulou-se que o motivo teria sido um desentendimento com uma colega de elenco, Tori Spelling. O pai de Tori era produtor da série.

Já em 2001, Shannen se envolveu em outra intriga e novamente se deu mal: ela não se entendia com a ariz Alyssa Milano, uma das protagonistas de Charmed (1998-2006), e teve de deixar o elenco da série.

Chris Noth

A carreira de Chris Noth começou a se degringolar no fim de 2021, quando quatro mulheres o acusaram de ter cometido abusos sexuais. O ator estava em evidência pela atuação como Mr. Big em And Just Like That, série derivada de Sex and the City (1998-2004) na HBO Max. Ele ainda apareceria em cenas do último episódio da atração, mas a direção da série optou por remover o personagem dos momentos finais.

Também pelas acusações de assédio e estupro, Noth foi demitido da série The Equalizer, no fim de dezembro de 2021. Ele interpretava William Bishop, parceiro da protagonista Robyn McCall, vivida por Queen Latifah.

Ruby Rose

Ruby Rose comprou uma briga daquelas com a Warner. A atriz foi a protagonista de Batwoman e deixou o elenco da série após a primeira temporada, alegando que havia situações abusivas e perigosas nos bastidores, como acidentes e ameaças de demissão.

A Warner rebateu as acusações. O estúdio afirmou que a atriz na verdade foi demitida por ter sido alvo de muitas reclamações por seu mau comportamento no set. Para a segunda temporada da série, uma nova atriz foi escalada para viver sua personagem, Kate Kane: Wallis Day. Mas o protagonismo foi transferido para outra novata, Javicia Leslie.

mentira que demitiram o Bruno por causa dessa bomba chamada O Sétimo Guardião

Só atores chatos

Primeiro pensei que seria o elenco dos filmes da marvel, mas aí li o “demitidos” e já vi que não era.

Achei que a Rachel de Glee estaria, mas ela não foi demitida… quando explodiu a polêmica dela teve só perda de publi mesmo prq ela já estava flopada.