Lady Gaga revela que estudou comportamento de animais para atuar como Patricia Reggiani em House of Gucci

Jake Gyllenhaal:
Você se estabeleceu na música de forma extraordinária. E então, sem esforço, você conseguiu entrar no universo de contar histórias, de outra forma. E quando eu penso em atuar em filmes, eu penso em fragmentos. Não é uma música, você não tem notas após notas, ritmo, melodia. Você tem pequenos momentos em que você precisa entregar a cena.

Eu amo a musicalidade de uma cena, mesmo sem música nela, mas eu gostaria de saber como é pra você, encontrar esses pequenos momentos em que você grava uma cena e ainda assim, precisa acertar?

Lady Gaga:
Você sabe, então… Eu tenho duas maneiras de responder isso.

Primeiramente, eu diria que todo o processo de atuar - eu queria ser uma atriz primeiro antes de ser cantora e eu estudei por um período muito extenso. Eu fiz Lee Strasbourg, eu fiz Circle on the Square, eu estudei o método Stanislavski, eu estudei o método Strasbourg, eu trabalhei com Susan Bassen, que é minha professora de atuação atualmente, eu estudei por meses meu sotaque com Beatrice Bellucci e com Timonic, mas a Bea estava no set comigo todos os dias e ela é uma das minhas melhores amigas.

E eu diria que, como compositora, fazer um personagem, para mim, é como viver uma longa canção.

Jake Gyllenhaal:
Foi por isso que você se manteve dentro do personagem durante todo o processo?

Lady Gaga:
Sim, é como uma longa canção que dura por meses. Ou anos até. Para A Star Is Born, foram anos. Para Patrizia, eu a deixei mais rápido porque eu precisei e porque ela era uma assassina. Haviam coisas sobre a transformação nela que eram extremamente desafiadoras.

Como você disse, quando você entra e você tem apenas esses curtos momentos. Quando eu assisto o filme, parece que eu estou assistindo uma montagem da minha vida. Eu não sinto como se estivesse assistindo um filme.

Jake Gyllenhaal:
Completamente.

Lady Gaga:
O que eu amo tanto sobre atuar… Desde que eu era uma criança, eu sofria bullying sem pena alguma. E eu tive uma infância muito controladora, então atuar, para mim, foi uma maneira de completamente fugir de quem eu era. Eu ainda sofro com isso o tempo inteiro. E eu acredito que eu fiz isso minha carreira inteira, ao pegar a persona artística de qualquer que seja a música que eu estivesse escrevendo e vivendo dentro da minha arte. O meu som, o que eu estava vestindo, o que eu estava pensando, é representativo de algo que eu criei e, para filmes é diferente, mas não é.

Eu me lembro da cena que eu fiz com Jack Houston como Domenico D’ercole, na escola, quando ele me entrega os papeis de divórcio. Eu estudei animais para atuar como ela [Patricia Reggiani] para essa cena. Foi a pantera. Foi porque a pantera se mexe devagar, mas quando se mexe, é para atacar a presa. É muito violento e é muito feio. E então, depois, ela chora.

Eu fiz isso para garantir que o sotaque estava no meu corpo, o comportamento corporal estava no meu corpo, para que o diálogo pudesse se destacar e eu pudesse apenas falar com o Domenico.

Em 5:09

2 curtidas

Fada estudiosa

mais uma fic pra era House of Gucci

Lenda que aprendeu com o Lázaro Ramos

Inútil quem não conhece o processo de criar personagem

Absolutamente nada demais
Mas abaixo veremos a Bcharts forçando

encarnou o espírito de uma pantera
ruááá

Pq o Jake está no meio disso, ela deveria ter esse quadro com alguém em destaque esse ano

Extremamente comum.

ele deu um hit pra taylor esse ano!!!

KKKKKKK A CARA NEM ARDE

Esse dai não dá hit nem pra ele a anos

Ele tá com um filme aí da Netflix tentando algo na AS