Líder do BTS fala à Billboard sobre acusações de “fraude” nos charts: “Somos um alvo fácil por sermos uma boyband”

Em entrevista à Billboard, RM (líder do BTS), falou sobre as acusações de “fraude” que as ARMYs cometem para manter os singles do grupo em #1 nos charts, a Billboard discorreu sobre o assunto no seu novo artigo:

Além dessas pressões, tanto o grupo quanto a sua agência estão sendo examinados pelos sucessos recentes das paradas do BTS, que os fãs de alguns atos concorrentes dizem que são alcançados por meio de uma “manipulação” combinada e antitética com o propósito de fazer o grupo ganhar destaque nos charts. Depois que “Butter” e a co-escrita por Ed Sheeran, “Permission to Dance” estrearam no topo do Hot 100, onde “Butter” ficou no topo por nove semanas não consecutivas, alguns notaram como os fãs do grupo, conhecidos como ARMYs, se organizam nas redes sociais, usando táticas como compras em massa de álbuns físicos e compra digital coordenada para influenciar o desempenho do chart.

Shin Cho, chefe de K-pop e J-pop da Warner Music Group, diz que isso se origina de uma cultura de fãs em particular do K-pop que faz de tudo para garantir que quem quer que eles apoiem receba a atenção do mainstream. “Os fãs farão de tudo para criar uma narrativa de sucesso”, diz Cho.

Mas o quanto eles fizeram recentemente foi questionado. Por “meios honestos”, a ARMY há muito tempo explora lacunas nas regras das paradas musicais (incluindo as da Billboard) para impulsionar o desempenho dos singles do BTS. As regras da Billboard, por exemplo, permitem que as pessoas comprem um certo número de versões de músicas ou álbuns por semana, e quaisquer vendas por versão que excedam esse limite não contribuem para o total de vendas semanais do artista ou colocação nas paradas. Para um grupo K-pop como o BTS, que normalmente lança várias versões de um single em particular - incluindo digital e físico - isso pode resultar em várias vendas por consumidor. (“Butter”, por exemplo, tinha seis versões digitais mais dois singles físicos.) No Twitter, onde o BTS tem mais de 38 milhões de seguidores, os fãs que agem em nome das ARMYs vão pedir ajuda para empurrar certos singles nos dias em que eles podem ter o maior efeito no desempenho dos charts.

Assim, enquanto outros singles no Hot 100 normalmente dependem de streaming para a maioria de seus pontos ponderados (seguido por airplay e depois vendas), o desempenho no topo das paradas de BTS '“Butter” em julho, por exemplo, foi impulsionado principalmente pelas vendas , a maior parte do qual fluiu diretamente pela própria loja virtual da BTS, dizem fontes familiarizadas com o assunto. Essa loja na web, dizem essas fontes, não reconhece compras anteriores ou limita quantas cópias um fã pode comprar, ao contrário do iTunes, que nota quando alguém já possui uma cópia. Ou seja, na loja oficial do grupo é permitido uma pessoa comprar várias cópias (virtuais ou físicas) de uma mesma música, enquanto em plataformas oficiais como o iTunes, não.

E neste verão, quando “Butter” e “Permission to Dance” reinaram no topo da Billboard Hot 100 por 10 semanas consecutivas no total, fãs de artistas como Olivia Rodrigo e Dua Lipa - cujos próprios singles foram chutados do primeiro lugar naquela época - começaram a chamar a tática das ARMYs de fraude.

Ambos HYBE e BTS rejeitam acusações de que a manipulação de gráficos é responsável pelo sucesso do grupo. Os membros do BTS dizem que aceitam que sua fama chegará ao auge e, em algum ponto, evaporará - afinal, o BTS já sobreviveu ao período de vida de sete anos padrão da indústria de um grupo de K-pop. Nesse ínterim, porém, seu grande sucesso causou um acerto de contas na indústria. E se a mobilização de fãs do BTS em uma escala global pode ser sustentada - e possivelmente replicada para outros atos - não só decidirá o futuro do BTS e do HYBE, mas também definirá seu legado.

Na parada de 24 de julho, “Permission to Dance” estreou em primeiro lugar com 140.100 vendas no total, de acordo com MRC Data, com “Butter” caindo seis posições para a sétima posição e “good 4 u” de Rodrigo se mantendo na segunda posição. Mas então, algo muito incomum aconteceu: na semana seguinte, “Butter” voltou ao primeiro lugar (ultrapassando Rodrigo e outros) e trocou de lugar com “Permission”, que caiu para o sétimo lugar.

À medida que capturas de tela de saldos de contas e recibos de compra em massa no Twitter passaram a ser revidados pela Billboard, os fãs do BTS usam o PayPal para juntar dinheiro em todo o mundo e fazer as compras que contarão para as vendas nos EUA. “EXÉRCITO ONDE ESTÁ VOCÊ ??” @ borakore52 perguntou em um tweet de 5 de agosto. “Tenho o suficiente para 448 conjuntos de 16 PTD mais 24 Butter !! Mesmo se você não puder comprar até mais tarde, por favor, receba seus pedidos o mais rápido possível !! ”

Alguns organizadores do fandom então se oferecem para reembolsar outros fãs pelas compras. A fonte desses fundos permanece obscura, e alguns fãs do BTS expressaram preocupação em revelar mais sobre seus métodos. “Sentindo a necessidade de ser um pouco mais discreto na timeline sobre o que fazemos e como fazemos”, escreveu @RafranzDavis durante uma execução de financiamento no início de agosto. “É irritante, mas obrigado a todos que entendem.” (MRC Data tem um processo padrão para examinar qualquer atividade de chart suspeita; a Billboard não permitiria que vendas financiadas por um artista ou sua gravadora / gerenciamento contassem para o desempenho do chart.)

Esses esforços impulsionaram os singles do grupo, que chegaram ao topo das paradas, apesar dos números de streaming e airplay de rádio mais fracos do que qualquer hit contemporâneo pop. “É uma pergunta justa”, diz RM sobre as alegações de que o sucesso do BTS se equivale à manipulação de charts feita pelas ARMYs. “Mas se houver uma conversa dentro da Billboard sobre o que o número 1 deve representar, então cabe a eles mudar as regras e fazer o streaming pesar mais no ranking. Bater contra nós ou nossos fãs por chegarmos ao primeiro lugar com vendas físicas e downloads, não sei se isso é certo … Parece que somos alvos fáceis porque somos uma boy band, um ato de K-pop , e temos essa grande lealdade dos fãs.”

2 curtidas

Apaga não vou ler tá

1 curtida

Kkkkkkkk coitados, boyband nova minoria

1 curtida

São acusados pq as músicas são uma bosta

2 curtidas

a inveja pq eles tem fãs que movem vendas digitais por eles, o sonho de qualquer cantor é ter uma fanbase envolvida igual a deles ou da taylor swift

10 curtidas

Eu fiquei com pena deles pq a Billboard foi fazer isso logo numa edição que eles são a capa

1 curtida

Com certeza,
Homens já são tão perseguidos não é mesmo
Imagine 7 juntos, transbordando whitepassing e higienismo nos seus clipes e trabalhos

Eles ainda dão sorte de só pegarem no pé deles por conta disso, artistas femininas tem de escutar 10x mais coisas…

12 curtidas

Não é fraude, eles só possuem uma fanbase dedicada mesmo que pega os cartões dos pais pra comprar as músicas e álbuns deles.

Mas nada ilícito.

“Quando questionado se a própria HYBE organiza fãs em qualquer manipulação de gráfico, Shin Young-Jae - presidente do selo BTS, Big Hit Music (uma subsidiária da HYBE) - responde com uma risada. “Não seria bom se realmente tivéssemos a capacidade de arquitetar tal coisa?” ele diz.” EU AMO KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Morri nessa parte da máfia

Eu pensei que já estávamos livres de butter mas amanhã sai um remix com a megan…

Eu de fato não acho que tenha maracutaia. É só um bando de fã louca comprando mesmo.

Não acredito que ele meteu essa… ah não

Acho que realmente eles não tem de prestar conta pela forma como os fãs compram sua música, afinal não é ilegal e os beneficia, mas daí à criar um discurso de opressão que não existe pra justificar criticas válidas, pelo amor…

1 curtida

Sempre com essa mesma ladainha de grupinho nugu injustiçados da indústria kkkk a cara nem arde

2 curtidas

No mais as fãs não estão fazendo nada ilegal e não é como se outras fã bases não fizessem o mesmo mas com uma proporção menor já que o fandom do bts é enorme

E se fosse só nos EUA que o BTS faz esse estrago
Butter quebrou todos os records de transmissão e vendas no Japão que é um mercado bem mais fechado e que bate pau a pau com os EUA (e supera em pures e tá andando pra superar em streams) na quantidade de álbuns no top 10 do IFPI e mesmo assim as pessoas não ficam reclamando igual no ocidente, o problema nem é eles serem uma banda, ou serem homens kkkkkk o problema todo mundo já sabe e alguns até assumem

5 curtidas

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

a boybandfobia

Billboard massacrou o esquema de mass buying… merecidíssimo