MALVADO FAVORITO: Caetano O'Maihlan abusa de arma secreta de Quedés em Reis: 'Sedução'

Caetano O’Maihlan tem uma carta na manga para se tornar um dos “malvados favoritos” da primeira temporada de Reis. Afinal, Quedés é capaz de despertar sentimentos muito mais múltiplos e complexos nas pessoas do que simplesmente raiva ou repulsa. O príncipe de Asdode, sem dúvida, é um dos personagens mais sedutores da novela bíblica da Record.

Em entrevista ao Notícias da TV, o intérprete revela que a proposta do antagonista é, desde o início, fascinar o público do folhetim escrito por Raphaela Castro:

Os filisteus eram um povo com uma estrutura política e social muito mais refinada do que os israelitas naquela época. Eles têm uma monarquia, palácios, um dos mais poderosos exércitos. E o Quedés realmente traz essa sedução. Esse pedido veio da própria autora e da direção.

O’Maihlan explica que a construção do vilão se dá nos mínimos detalhes, desde uma elegância que lhe é nata até o figurino ricamente adornado e com mais pele à mostra. Um tipo bastante diferente do último personagem do ator --o príncipe Bachir em Gênesis (2021):

Bachir também era um filisteu, mas era um pouco mais adolescente. Ele não se importava com o que era preciso fazer para alcançar os seus objetivos. Já o Quedés, não. Ele é muito mais calculista, não se permite errar.

Coração valente

Em sua sexta trama bíblica, O’Maihlan avalia que os avanços da Record na teledramaturgia são inegáveis. “Reis não deve em nada para séries e filmes. Os cenários, os figurinos são nababescos”, diz.

Ele, inclusive, fez uma maratona de produções épicas como Vikings (2013-2020) e O Último Reino (2015-2022) para encontrar o tom do antagonista. “Eu também busquei inspiração em Coração Valente (1995) em uma das cenas em que o Quedés inflama o seu exército de dez mil homens antes de uma batalha”, acrescenta.

O galã passou oito horas na cadeira da especialista em megahair Nelma Véo para se transformar no fidalgo, em uma parceria que vem desde a novela Rei Davi (2012):

Eu uso um aplique de 65 centímetros, que é o maior da novela. O engraçado é que já tive um cabelo grande assim na adolescência e foi justamente isso que me levou para a carreira de modelo. As pessoas ficaram interessadas em descobrir quem era aquele cabeludo (risos).