Manuela Dias irá trazer personagens conhecidos em Justiça 2 e entra de cabeça no Piseiro

Manuela Dias admite que não dá para fazer nos dedos os cálculos necessários para tirar uma nova temporada de Justiça do papel. O modelo “quase matemático” obriga a autora a quebrar a cabeça para amarrar as histórias inéditas com rostos já conhecidos pelo público --e tudo embalado pelo ritmo do piseiro no interior da Bahia.

Após fazer a estreia na literatura com o romance Tilikum, ela se dedica com mais afinco à produção e até já dá detalhes do processo criativo nas redes. “Vão ter personagens da primeira temporada na segunda”, avisa a escritora, em entrevista exclusiva ao Notícias da TV.

Manuela, entretanto, frisa que o diálogo acontecerá apenas dentro do mesmo universo narrativo. Ou seja, as teorias de que Penha (Clarissa Pinheiro) e Leila (Arieta Corrêa) de Amor de Mãe (2019) dariam as caras na trama são infundadas.

Os rumores surgiram no final do folhetim, em que as “rainhas do Passeio” deixaram o crime para trás para recomeçar a vida como donas de um bar em Goiás. “Se vai ter um ‘manuverso’? Não. Acho que só [voltam] mesmo [personagens] de Justiça. Até porque a história também migrou de Goiânia”, adianta.

A dramaturga optou por levar a segunda temporada para o interior da Bahia, por uma série de questões. Ela ressalta que a pandemia de Covid-19 não foi uma delas. “Eu sou muito fã do piseiro, então levei a história para o centro-oeste do estado”, explica ela, que é natural de Salvador.

O ritmo é uma variação da pisadinha que surgiu no Nordeste no início dos anos 2010 antes de estourar pelo país. Ele mistura elementos do arrocha, do tecnomelody e do brega, como nas canções de João Gomes, Zé Vaqueiro e Raí Saia Rodada.

O que eu posso contar é que vou manter o formato. São quatro histórias que se entrelaçam, com um protagonista a cada dia da semana. A gente vai assistir mais uma vez a um quebra-cabeça que vai se entrelaçando aos poucos, só agora com histórias totalmente diferentes.

Carta na manga
Conforme o Notícias da TV já havia adiantado, Manuela tem planos de também resgatar um dos destaques de Amor de Mãe. Ela escreve O Diário de Dona Lurdes, inspirada na personagem de Regina Casé, em que promete matar um pouco a saudade do público pela mãe de Domênico (Chay Suede).

Com duas sinopses de novela já entregues à Globo, a autora espera um sinal verde para começar a produzi-las. Enquanto isso, ela continua a gastar até o último neurônio com Justiça:

Justiça é uma coisa que cansa muito, porque é matemático. Três para frente, dois para trás. Se você tem uma ideia nova, aí tem que remontar tudo. Não é livre. E, às vezes, eu descubro um erro na estrutura quando já estou escrevendo os diálogos. Aí eu tenho que voltar tudo. Mas é isso. Escrever é reescrever.

Confira a publicação de Manuela Dias sobre Justiça 2 no Twitter:

Ela é ótima e merece uma redenção

Justiça foi muito boa

Queria Camila Mardila de volta

amo

Me fez lembrar das reviews hilárias que tinha no papelpop