Mariana Ximenes revela passar aperto com os figurinos de Nos Tempos do Imperador: 'Como faziam xixi?'

Luísa botou os pés na Quinta da Boa Vista com a missão de colocar ordem no palácio e, de quebra, refinar os modos da família de Pedro (Selton Mello) em Nos Tempos do Imperador. Mariana Ximenes entrega que não foi fácil manter a pose dentro dos vestidos pesados e abafados da condessa de Barral na novela das seis da Globo.

“É um figurino lindo, cada um mais estonteante do que outro, eu sou transportada para outra época, mas dá um trabalho. São quatro saias, superpesadas, marcadas na cintura. Não dá para colocar sozinha, porque é uma traquitana. Eu passei até a me questionar como é que elas faziam xixi naquela época”, dispara a atriz ao Notícias da TV.

O folhetim de época foi um dos mais afetados pelos protocolos contra a Covid-19, já que exigia uma série de cuidados extras da caracterização. Mariana, porém, revela que o pior “estrago” da pandemia foi mesmo obrigá-la a gravar debaixo do sol escaldante no Rio de Janeiro.

“A gente pegou dois verões e, olha, passamos muito calor nas externas”, lembra a intérprete, que começou a gravar entre janeiro e fevereiro de 2020. Com as diversas interrupções das gravações por causa da crise sanitária, ela ainda voltaria a entrar em cena no mesmo período de 2021.

A artista, no entanto, preferiu não deixar as temperaturas beirando os 40º lhe tirarem do sério. “Eu costumo sempre driblar tudo com humor, então eu comecei a brincar com isso nas redes sociais. Tem foto minha com roupa de época nos carrinhos da Globo, no meio da lama”, pontua.

O aperto foi tanto que até o diretor artístico Vinícius Coimbra deu uma colher de chá para Mariana se sentir mais livre nos bastidores. “A gente foi gravar uma cena na montanha e me deixaram colocar um tênis por baixo do vestido, até porque ia ficar bem escondido”, conta.

O guarda-roupa de Luísa ainda lhe rendeu um apelido nos Estúdios Globo. “O Selton passou a me chamar de periquita, porque todos os vestidos da condessa são verdes”, confessa a paulistana.