Maurício Meirelles diz que ideia copiada por Luciano Huck é dele

Maurício Meirelles está assistindo de camarote à disputa entre Luciano Huck e Fábio Porchat sobre a, digamos, exclusividade da criação de um projeto de contação de histórias. Tudo porque o humorista foi pioneiro em explorar o formato na internet. Em 2016, Meirelles teve a ideia de entrevistar famosos e anônimos para que contassem histórias inusitadas no Traumas Plural, projeto no seu canal no YouTube com cerca de 200 episódios e mais de 150 milhões de visualizações.

O sucesso digital foi tão grande que Maurício levou a ideia para os palcos em vários teatros do Brasil. A história que Paulo Miklos contou no Que História É Essa, Porchat? há uma semana já havia feito rir há três anos no projeto do apresentador da RedeTV!. Quem está rindo com essa polêmica toda, agora, é Maurício Meirelles, que viu sua ideia virar programa no GNT, em 2019.

“Eu só queria ganhar uma porcentagenzinha sobre o que o Luciano e Porchat ganham com o projeto que eu fiz em 2016. Ele foi visto por muita gente. A ideia era reunir quatro anônimos ou famosos para contar histórias numa roda. Está no Youtube, tem registro”, diz ele, que brinca, em tom de deboche: “Ô, Globo, me dá, pelo menos, uns cinco reais aí pela ideia que tem dois caras disputando. Estou precisando mais que eles. Meu banco é Itaú, agência 9652 e conta-corrente 01497-9”.

Ele quer porcentagem por ter feito uma roda de conversa?

Valeu aí Maurício por ter inventado o storytelling.