MORAVA NO RIO: Paulo Goulart Filho troca Brasil pelos EUA por medo da violência: 'Complicado viver'

Liberado das gravações de Gênesis, Paulo Goulart Filho voltou para Orlando, nos Estados Unidos, onde mora há um ano. Nos últimos meses, o ator cumpriu agenda de trabalho no Brasil, mas oficialmente deixou o país com a família por medo da violência. “No Rio de Janeiro está complicado de viver”, desabafa.

“Vim para cá [Estados Unidos] há um ano. Eu estava no Brasil para a novela, e minha mãe [Nicette Bruno, 1933-2020] morreu no fim do ano. Voltei para cá no começo de janeiro. Retornei e, desde então, estou por aqui. Minha residência fixa está em Orlando agora. Mas fico no vaivém sempre que tem trabalho no Brasil”, explica para o Notícias da TV.

O artista de 56 anos integrou o elenco do folhetim bíblico como Sharur na fase Ur dos Caldeus, e agora a emissora exibe a Jornada de Abraão. A decisão de mudar de país em 2020 surgiu após conversas com a mulher, Katia Salomão. “Ela sempre teve essa vontade, sempre quis vir para os Estados Unidos”, revela.

Como a situação no Brasil está complicada e estourou a pandemia, eu falei: ‘Vamos embora. Vamos tentar uma vida nova aqui’. Eu morava no Rio, e a violência era muito pesada lá. Tinha medo de sair na rua. A coisa de não poder sair com celular, computador… Medo de parar no sinal [como carro].

O ator entrega que a experiência no exterior também será boa para Leonardo, filho de Katia e seu enteado de 16 anos --o trio, aliás, chegou a participar do Troca de Esposas, da Record, em 2019.

Nos Estados Unidos, Paulinho está mais próximo de Clarissa Mayoral, sua filha que mora na Flórida. O restante da família ficou no Brasil. “Tenho mais duas filhas [Paula Miessa e Luana Miessa] e um filho [João Pedro] e netinhas. Inclusive, uma das minhas filhas está grávida e vou ganhar mais uma netinha em setembro. É mais uma desculpa para dar um pulo no Brasil”, adianta.

Em Orlando, o artista se deparou com o contraste na qualidade de vida ao relembrar a rotina que tinha no Rio de Janeiro.

Não tem comparação. Aqui, você realmente vê o cuidado com o próximo e com o social. É uma outra relação, e isso faz toda a diferença. A gente vai ficando mais velho e vai querendo tranquilidade (risos). Quero isso de sair na rua tranquilo, sem me preocupar com nada.
Adaptando-se à cultura norte-americana, Goulart Filho lamenta apenas a saudade do círculo de amigos e, claro, da família. Por hora, a fase ainda é de adaptação, incluindo algumas oportunidades como dublador.

“É sempre bom ter uma experiência nova. Nunca morei fora do país. É interessante, a gente aprende e exercita o inglês. Estou tocando a minha vidinha, deixando o barco me levar para ver o que acontece”, conta.

“Tenho feito dublagens para o Brasil e tenho projetos para o futuro. Vamos ver o que acontece. Mas não tenho planos de carreira internacional. Nada disso”, esclarece.

Na semana passada, o ator passou por um sufoco e precisou resolver a questão diretamente dos Estados Unidos. Ele teve seu Instagram hackeado e contou com a ajuda da família no Brasil para entrar em contato com a plataforma.

O invasor chegou a pedir US$ 800 para devolver a conta do artista, que já soma 147 mil seguidores. Uma semana depois, ele recuperou sua conta. É na rede social que ele compartilha a vida em Orlando, inclusive o momento que foi vacinado contra Covid-19 em abril último.

Confira publicações de Paulo Goulart Filho no Instagram:

RJ já comeu muito esse ai

como deve ser bom nascer em berço de ouro

E… ?

Ninguém liga.

Ele não está errado não

1 curtida

Ele não está errado não

feio

Pensei uma baita de uma escrotice

Ele não está errado não

gente? sentiu vontade de abocanhar o escrotal dele?

1 curtida

ele é o clone do pai, fico pasmo

Queria ter a mesma sorte

queria ter essa sorte olha
de 2018 para cá, o brasil está um caos

Ganhei um relógio maravilhoso n sei pra quê pq se usar vou ser assaltado