Murilo Benício relembra os três personagens que viveu em ‘O clone’: novela volta no ‘Vale a pena ver de novo’

Murilo Benício estava em seus primeiros anos de carreira na TV quando interpretou três personagens centrais em “O clone” (2001), sucesso que volta ao ar nesta segunda-feira, dia 4, no “Vale a pena ver de novo”, na Globo. Além dos gêmeos Diogo e Lucas — que se apaixona pela muçulmana Jade (Giovanna Antonelli) —, o ator viveu Léo, clone de Lucas criado pelo cientista Albieri (Juca de Oliveira). “Lembro que foi muito difícil porque o Lucas era um personagem apagado — mas era para ser assim — e em novela acontecem milhões de coisas. Eu lembro que o Léo demorou para entrar, então passei um tempo só com o papel mais apagado. Mas o Diogo tinha que ser o cara solar que morreria num acidente. E, por conta de o Diogo ter morrido, acendia no Albieri a vontade de trazer ele de volta. Aí achei interessante o Lucas ser esse homem apagadinho, que ficaria até mais pesado o fardo de ele de ter sido o filho que ficou”, explica Murilo.

Murilo Benício em ‘O clone’

Murilo Benício em ‘O clone’ Foto: Rede Globo/Divulgação

O ator conseguiu “brincar mais em cena” com a entrada de Léo: “Para mim, a diferença entre Lucas e Diogo era praticamente nenhuma por eles terem o mesmo background, mesma escola, mesmos pais, mesma casa… Mas sabia que quando o Léo, idêntico fisicamente, mas criado num ambiente diferente, entrasse, eu poderia brincar muito com essa situação”.

Murilo diz encarar seus personagens mais antigos com distanciamento. “Parece que é outra pessoa quando assisto. Então, dói menos. Mas não sou daqueles que curtem rever, não”, revela o ator, que ainda guarda lembranças das viagens ao Marrocos: “Comprei uns chaveiros e até hoje encontro uns desses em casa. Comprei também uns panos que estão na minha fazenda. Trouxe muita coisa de lá e tenho muita recordação boa. Imagina essa turma toda fazendo a novela no Marrocos. Como a gente não se divertiu? Foi uma delícia.”