No Dia das Mães, listamos as principais matriarcas das novelas atuais: a Filó, de ‘Pantanal’, é firme e amorosa

Ao pensar nas novelas que estão no ar atualmente, não consigo apontar uma mãe da ficção mais inspiradora do que Filó, interpretada com brilho por Dira Paes, em “Pantanal”. Amorosa e sensata, a personagem acolhe o filho, Tadeu (José Loreto), sem deixar de ser firme e de falar umas verdades quando é necessário. Apesar de viver num ambiente masculino e cercado de muitos preconceitos, ela tem a cabeça aberta para as diferenças e é a única que recebe Jove (Jesuita Barbosa) com empatia. Para Dira, a personagem não chega a ser uma mulher submissa. “É um encontro com o feminino aparentemente subjugado. Mesmo parecendo estar sempre à sombra, à margem, ela é, na verdade, o esteio daquele lugar. A Filó não precisa de protagonismo na vida para ser uma protagonista da própria vida. É uma mulher independente. Pode não parecer no começo, mas ela é”, disse a atriz, ao ser entrevistada pela coluna.

Ainda em “Pantanal”, temos duas mães que parecem incapazes de olhar verdadeiramente para seus filhos. Para Mariana (Selma Egrei), a posição social, o dinheiro e o controle que exerce nas pessoas são mais importantes do que tudo. Madeleine (Karine Teles), por sua vez, nunca encontrou seu lugar no mundo e deixou que sua irmã, Irma (Camila Morgado), cuidasse de Jove.

Paula e Flávia, mãe e filha

Paula e Flávia, mãe e filha Foto: Reprodução/Rede Globo

Em “Quanto mais vida, melhor”, Paula Terrare (Giovanna Antonelli) é outra mãe que não se entende com a filha, Ingrid (Nina Tomsic). Agora, após descobrir que Flávia (Valentina Herszage) é a outra filha, que ela achou que tinha morrido, a protagonista terá a chance de se redimir.

Malu Galli

Malu Galli Foto: Mauricio Fidalgo/Rede Globo/Divulgação

Por último, em “Além da ilusão”, Violeta (Malu Galli, ótima no papel) faz o tipo compreensiva com sua caçula, Isadora (Larissa Manoela), após ter perdido a filha mais velha por conta de uma tragédia. Como um bom retrato da sociedade, os folhetins atuais mostram que, antes de qualquer coisa, as mães da ficção também são mulheres demasiadamente humanas.

Violeta a melhor personagem dessas citadas

Malu Galli, Paloma Duarte e Bárbara Paz tão arrasando demais

Tão dando show de atuação em plena 18h

Melhor coisa foi a Cláudia Raio ter saído da novela

Imagina aquela canastrona interpretando uma personagem tão sútil como a Violeta