O DIA: São pessoas que excluem e com os corações ruins. Eu não quero conviver com ninguém', diz Deborah Albuquerque

Deborah Albuquerque ainda está engasgada com o resultado da final do ‘Power Couple 5’. Perder faz parte do jogo e da vida, mas a influenciadora está indignada como ela e o marido, o médico Bruno Salomão, foram tratados por 11 casais dos 13 participantes. “Foi um massacre e todos se juntaram contra nós”.

Em conversa com a coluna, Deborah diz que o elenco tinha uma energia ruim, assume que teve ‘um namorico’ com JP e que pretende processar os ex-colegas por vários xingamentos e por ter sido chamada de ‘plastificada’.

PUBLICIDADE

Você acabou de sair do ‘Power Couple 5’ e como é para você processar tantas informações que nem imaginava?
Eu acabei de sair do ‘Power’ cheia de informações que eu não tive. Os participantes foram saindo e foram falando sobre o casal Fênix e eu só soube agora. Descobri que nós fomos temas de podcasts, lives e entrevistas. Eles foram se unindo e falando de nós. Eu fiquei assustada quando vi as imagens e recebi também coisas dos meus fã-clubes e o único casal que teve cuidado em falar de nós foi o Tiago e a Geórgia. O resto foi um bombardeio.

Por que você disse que a Adriane Galisteu não gostava de você?
Eu nunca disse que a Adriane Galisteu não gostava de mim. Eu estava em uma live e um fã falou isso. Na hora, eu li a mensagem e falei ‘olha eu ainda não assisti o programa e não tenho opinião sobre isso’. Foi isso. Falar da Adriane? Eu jamais falaria e até por que não assisti o programa e não acredito que ela faria isso. Ela já tem uma carreira linda, tem experiência em apresentar e todo apresentador precisa ser imparcial ainda mais em um reality. Está todo mundo falando isso, mas não saiu da minha boca que a Adriane não gostava de mim. Não saiu e nunca sairá.

Quem foi a maior decepção?
A maior decepção foi a união dos 11 casais, juntando com o último casal que saiu antes da final e era amigo nosso. Foram 11 torcidas, algumas pagas, contra uma única torcida. Foi um massacre e todos se juntaram contra nós. Onze contra um é um massacre e isso tira até o direito do público que não é torcida organizada, que não faz mutirões e vai lá dar um ou dois votinhos. Fizeram até premiação de votos contra nós ! O programa inteiro nós fomos favoritos e naquela DR com quatro casais, nós fomos os primeiros que o público queria que ficasse com 42% e Mari e Matheus com 27%.

Acha que a produção não foi legal com você e Bruno na edição do programa?
Não tenho o que falar porque eu ainda não assisti, mas o que pegou ali foram os participantes. O elenco era bem difícil de lidar, as energias eram bem negativas e se apegaram aos mais fracos de jogo e de apostas até mesmo para se protegerem. Quando os casais foram saindo e nós ficando, eles pegaram ranço. O problema não foi a produção.

Fizeram uma festa entre os eliminados e você e o Bruno não foram convidados. Onde estavam os casais que eram seus aliados para interceder por vocês?
A festa dos eliminados já diz tudo, né? Nós não fomos eliminados e fomos até a final porque o público quis, o público nos apoiou. E outra, nós estamos no meio de uma pandemia e uma festa com várias pessoas que não eram do programa, casais de outras edições, assessores e todo mundo sem máscaras e na maior aglomeração. Mesmo se eu fosse convidada, eu não iria por uma questão de consciência e também pelo Bruno, que é médico e porque eu tenho uma mãe idosa que vive comigo. Nenhum participante do ‘Power’ estava vacinado. Enfim. Eu comentei na live com ironia o não convite. Mas, aí o Yugnir convidou, mandou uma mensagem para o Bruno e nossa resposta foi negativa. O engraçado é que nós fizemos a nossa festa em casa, a nossa live e os sites deram mais atenção para a nossa comemoração.

Dizem que o que acontece no reality fica no reality. Vai ser assim com vocês?
Realmente o que acontece no reality fica no reality. O que aconteceu foi que nós conhecemos pessoas que são muito difíceis de lidar. Para quem assistiu o programa, viu a índole das pessoas. São pessoas que excluem, maltratam e com os corações ruins. Eu não quero conviver com ninguém ali, a não ser o Tiago e a Georgia. Não fizemos amigos no ‘Power’, eram artistas com egos enormes e nós que éramos os mais anônimos não entendíamos o motivo de tantos sorrisos falsos, forçações de barra, fingimentos, cansados de fazer provas, esgotados com a competição, mas mostrando para as câmeras. Eu e Bruno, ali de verdade, mostrando a real de um reality e acho que foi isso que fez com que ganhássemos torcidas. Fico triste porque o programa não merecia isso.

O que você teve com o JP?
Eu tive um namorico de quando eu era adolescente e olha, ele vinha muito mais atrás de mim do que eu dele. Eu sei que ele fez comentários extremamente machistas e usou de um passado muito distante de uma relação que eu nem lembrava que tinha tido com ele para crescer. Muitos vieram depois dele, que eu amei demais e depois veio o Bruno. Muitas pessoas me abordam na rua e dizem que o Bruno é muito mais bonito que o JP. É mais charmoso, mais educado e trata a mulher melhor do que o JP trata a mulher dele. Não tem como ter olhos para o JP com o Bruno do lado. O que eu via no JP era um irmão mais velho, meio desengonçado e engraçado porque no reality eu me sentia sozinha. Por eu conhecer ele aqui fora foi um apego de irmão. Eu sempre falei que eu o amava como amigo e os abraços que eu dava nele eram os mesmos abraços que eu dava na Li. A Georgia eu também abraçava muito. Eu sou uma pessoa carinhosa e ali eu tinha poucas pessoas para dar um abraço. O Tiago é muito tímido e quando eu o abraçava, eu sentia que ele se retraía e por isso não foi do mesmo jeito do que com JP. O Bruno não sente nada porque nós temos um casamento monogâmico há 10 anos e não pensamos em outras pessoas. A Li Martins também via que não tinha nada a ver e com certeza, ela falaria se sentisse algo diferente. Ela sabe muito bem que o meu tratamento com o JP era de irmão, de acolhimento.

Participaria de um novo reality?
Eu teria que pensar um pouquinho. Teria que saber qual seria o reality e saber quem seriam as pessoas. Estão pedindo para que eu entre em outro reality, mas eu tenho que pensar com calma. Hoje, a voz do público é a voz de Deus para mim. Se Deus e o público quiserem, eu entro sim.

Você pretende processar seus colegas de confinamento?
Sim, pretendo processar. Nossa, o que nós recebemos de calúnias e difamações! Mães de participantes nos xingaram, enquanto a minha mãe nunca ofendeu ninguém. Me chamaram de ‘Chuck’, ‘plastificada’ sendo que eu fiz uma rinoplastia e o Matheus também porque é só olhar o nariz dele antes e depois. Eu fiz silicone e a maioria ali também tinha próteses nos seios e fiz uma cesária. Onde eu sou ‘plastificada’? Teve participante que falou lá que tinha feito a lipo lad, teve participante que contou ter feito cirurgias no corpo inteiro desde muito nova. O que eu sou é marombeira. É tudo resultado de academia. Pessoas ali que me acusaram de ser ‘plastificada’ fizeram lipo no corpo inteiro e continuaram com aspecto de 60 anos mesmo tendo 20 anos.