PAÍS EM DESTAQUE: Netflix cria 'Hollywood coreana' e investe pesado em busca de nova Round 6

A Coreia do Sul é a bola da vez na Netflix. O sucesso de Round 6, produção de maior audiência da história do serviço de streaming, faz jus ao investimento da gigante norte-americana no país asiático nos últimos seis anos. Com uma estrutura digna de estúdios de Hollywood, a empresa tem trabalhado em dezenas de filmes e séries no local.

As produções sul-coreanas passaram a receber mais destaque no catálogo. Categorias como “dramas coreanos” e “filmes coreanos” reúnem os conteúdos feitos no país de Round 6. Além disso, na lista de lançamentos enviada mensalmente à mídia especializada, foi criada uma parte especial para as “estreias coreanas”.

A novidade surgiu no material de divulgação de novembro. As grandes apostas do serviço de streaming para este mês são as séries Refletidas (drama) e Profecia do Inferno (terror), além do reality show Novo Mundo.

No início deste ano, a Netflix revelou que havia investido US$ 700 milhões (R$ 3,9 bilhões pela conversão atual) entre 2015 e 2020 em conteúdo coreano. No período, foram feitos 80 filmes e séries. Nenhum, porém, tinha alcançado o sucesso de Round 6.

A produção sobre os jogos mortais em forma de brincadeira infantil não só entrou na lista conteúdos de língua não-inglesa que viraram fenômeno mundial como superou a La Casa de Papel em audiência online.

Aliás, uma adaptação da série espanhola está sendo desenvolvida, e as gravações acontecerão na “Hollywood coreana”. Em janeiro, a Netflix anunciou a locação de dois grandes espaços nas regiões de Paju-si e Yeoncheon-gun, na província de Gyeonggi, perto da capital Seul.

No YCDSMC - Studio 139, a empresa alugou seis estúdios e espaços de apoio com aproximadamente 9 mil metros quadrados. No Samsung Studio, são três espaços de aproximadamente 7 mil metros quadrados para atender a companhia.

“Com esses novos estúdios, nós estaremos mais preparados do que nunca para aumentar a produção de grandes histórias, além de oferecer vários empregos na área de produção para os talentos da comunidade criativa local”, projetou Amy Reinhard, vice-presidente de operações de estúdio da Netflix.

A projeção de investimento na Coreia do Sul apenas em 2021 era de US$ 500 milhões (R$ 2,8 bilhões). Apesar de estar longe de ser o país mais populoso da Ásia --são aproximadamente 50 milhões de habitantes --o local recebe praticamente metade do orçamento de conteúdo estimado para Ásia-Pacífico.

A explicação está na forte influência da região no universo do entretenimento na última década, com música K-pop e filmes distribuídos internacionalmente.

Uma das apostas locais para o último bimestre é Profecia do Inferno, série que será lançada pela Netflix em 19 de novembro. A produção é dirigida por Yeon Sang-ho (de Invasão Zumbi). Assista ao trailer: