Presença vip de Caio Castro termina em briga judicial

Caio Castro e seu empresário, José Sandro Muniz, viraram alvo de uma ação judicial movida pela empresa de suplementos alimentares, Moove Nutrition, na qual os advogados da marca pedem o depoimento pessoal dos dois e a intimação de duas testemunhas. O objetivo é produzir provas que futuramente serão usadas em outros dois processos do empresário do artista contra a marca, que tramitam na 3ª Vara Cível da Comarca de Assis/SP.

Sandro entrou com duas ações de execução contra a Moove Nutrition, pedindo o pagamento de um cachê do artista no valor de R$ 60 mil, referente à presença vip que ele fez em um evento da marca em parceria com duas das maiores drogarias de São Paulo. A empresa, no entanto, juntou provas para sustentar que, na verdade, não deve nada ao ator.

Em dezembro de 2018, o artista cumpriu com a primeira ação de divulgação acordada entre as partes, que foi realizada no Kartódromo da Granja, em São Paulo , e expôs o nome da marca no evento ‘Kart 500 Milhas’ e também em suas redes sociais. Mas após o recebimento do primeiro cachê, o empresário do ator enviou uma notificação extrajudicial encerrando o contrato entre as partes.

A Moove alega que, embora Caio tenha rompido com a marca, uma cláusula contratual obrigava o ator a cumprir com os compromissos que já estavam firmados antes da rescisão. Sendo assim, sustenta que a presença que estava prevista para acontecer em setembro de 2019, em parceria com as drogarias, já estava inclusa no cachê recebido antes do rompimento contratual.

A Moove Nutrition, inclusive, juntou provas de que tanto o Caio quanto o empresário dele tinham conhecimento do que havia sido acordado a presença do artista no evento de setembro no momento em que a parceria entre ambos foi firmada.

“Assim, os e-mails apresentados demonstram que os requeridos tinham conhecimento – aliás, confirmou a realização das ações -, dos projetos que seriam realizados com a presença do ator Caio Castro, em parceria com a Rede de Drogarias Pacheco e São Paulo, tudo ajustado entre os meses de janeiro de julho de 2019”, sustenta a defesa da empresa.

A marca de suplementos afirma ainda que o empresário de Caio Castro cobrou indevidamente o cachê pela presença do ator no evento, embora a participação dele já estivesse acordada antes do rompimento do contrato.

“Não obstante aos fatos categoricamente comprovados, há uma semana da realização do evento, o requerido, Jorge Sandro, maliciosamente cobrou da requerente (empresa de suplementos) o valor de R$ 60 mil, sendo R$
30 mil por dia para a presença do ator Caio Castro no evento, que há meses já estava acertado, pago e definido, qual seja, Desafio de Kart dos colaboradores da Rede de Drogarias Pacheco e São Paulo”.

Quem liga pra polêmica de celebridades brasileiras? Kkkkkk hj……

1 curtida