Propaganda enganosa? Globonews, o canal de jornalismo 24h no ar

A Globonews, canal de jornalismo do Grupo Globo, sempre encheu o peito para se gabar de exibir notícias durante todo o dia, lembrando que o dia tem 24 horas. Como todos sabem, a notícia muda a todo instante, ainda mais no momento em que vivemos. Mas de uns tempos para cá, o canal tem usado suas madrugadas para reprisar jornais que trabalham com o factual, ou seja, o que foi notícia no noticiário das 18h, já é algo bem diferente no ‘Jornal das Dez’. Imagine passar a madrugada toda com zero atualizações do Brasil e do mundo divulgando apenas informações já ultrapassadas?

Não faz sentido um canal que se diz de Jornalismo passar a sua madrugada com notícias velhas, salvo as exceções de pequenos drops. Se fossem reprises de programas como o de Miriam Leitão ou Marcelo Lins com Guga Chacra e até outros similares, ainda se pode dar um desconto porque estão numa linha mais soft de Jornalismo, com uma pegada no Entretenimento… Mas não! As reprises são da Edição das 18h, Globonews em Pauta e Jornal das Dez, jornais que trabalham com o quente, que de um minuto para o outro a notícia já evoluiu e muitas vezes, às 2 da manhã, quando começa a reprise, a história já é outra completamente diferente. Tudo bem que a crise chegou para todos, mas abrir mão do seu maior ativo que são as atualização real time, por jornais requentados, depõe contra a qualidade do canal. É aquela velha história: se você não consegue entregar o que propõe, não prometa.

Será que a Globonews anda tendo aulas com o SBT, que sempre usou de notícias pré-gravadas para alimentar sua madrugada? Não sei quem é o responsável por essa ideia de grade, mas com certeza teve que ter a aprovação de Miguel Athayde, o número 1 do canal. Agora o que espanta esta colunista é um profissional como Miguel ter deixado essa ideia estapafúrdia ir adiante.

Está na hora da Globonews analisar se seu slogan ‘Canal de Jornalismo 24 horas no ar’ ainda faz sentido.