REALITY NA BAND: Prestes a dar à luz, Ticiana Villas Boas encurta licença para voltar à TV

Após uma pausa de quase quatro anos, Ticiana Villas Boas está de volta à TV. A apresentadora de 40 anos trocou o SBT pela Band no início do ano e engatou um projeto audacioso: gravar um reality em plena pandemia e grávida do terceiro filho. Mordida pelo “mosquitinho da televisão”, ela cumpriu a meta. Neste sábado (21), Duelo de Mães estreia na Band. Para isso, ela trabalhou até o atual nono mês de gestação e encurtou a licença-maternidade. Em novembro, ela já volta aos estúdios.

Duelo de Mães é uma competição culinária. Criada por Ticiana, a atração coloca famosos e suas mães em uma disputa para descobrir quem é a matriarca que manda melhor na cozinha. O programa chega na Band já em sua terceira temporada. Antes, ela tinha emplacado o formato no SBT --o reality ganhou duas edições em 2016 e 2017 na emissora de Silvio Santos.

Em 2017, aliás, Ticiana deixou o SBT para focar na família --após os escândalos envolvendo seu marido, o empresário Joesley Batista, de 49 anos, na Operação Lava Jato. Em julho de 2020, ela voltou para sua antiga emissora para apresentar temporariamente o Bake Off Brasil e seu spin-off, A Cereja do Bolo. Foi nesse momento que decidiu finalizar o período sabático.

“Tive uma pausa de quase quatro anos. Antes dessa pausa, eu estava no SBT. Então, o normal seria voltar para o SBT. Retornei no meio do ano passado, em plena pandemia, para fazer o Bake Off Brasil: A Cereja do Bolo. E fui feliz. Tive vontade de voltar para a TV”, relembra.

“Eu sei que era um período que eu tinha que me dedicar à minha família. Eu estava trabalhando em outra coisa, que não era na frente da TV. Mas fiquei feliz e me deu vontade de voltar. Teve A Cereja do Bolo. Depois, teve outro projeto que me envolvi [o Vem Pra Cá, no SBT], que acabou não dando certo. Logo em seguida, a Band me chamou. Fui recebida de portas abertas. Adorei a proposta porque tive abertura para fazer o que eu tinha vontade”, aponta.

Contratada pela Band, ela logo sugeriu que retomasse o Duelo de Mães, seu xodó. “Foi um programa que eu criei e depois parou. Falei: ‘Vamos voltar com ele repaginado?’. Me ajudem a formatar ele. Conversei com a direção artística, e todo mundo foi dando pitaco para construir essa evolução. Ficou melhor do que eu imaginava”, comemora.

Em junho, a comunicadora ficou um mês praticamente confinada em estúdio. Gravou 13 episódios para o que seria a primeira temporada do Duelo de Mães. Foram 12 horas de gravações diárias. Grávida, ela encarou testes de Covid-19 e um rígido protocolo de segurança sanitária.

Ao fim das gravações, ela entrega que apenas três convidados famosos testaram positivo para Covid-19, mas nem chegaram a gravar. Da equipe da produção --aproximadamente 70 pessoas–, ninguém testou positivo. “Todos levaram muito a sério. Você não via uma pessoa tirando a máscara no estúdio”, relembra.

Sem licença-maternidade
Entre julho e agosto, Ticiana se concentrou na edição de tudo que tinha sido gravado. Nesse meio tempo, recebeu a notícia de que o Duelo de Mães entrou oficialmente na grade da Band, o que significa que ela deve trabalhar de forma contínua, e não mais por temporada.

Os 13 programas já gravados serão exibidos até 13 de novembro. Na semana seguinte, ela estreia uma nova leva de episódios. Não há mais a definição de segunda temporada, pois a produção virou atração fixa da casa. Isso significa que a apresentadora deverá voltar ao trabalho em novembro, ou seja, dois meses após dar à luz.

Grávida de uma menina --ainda sem nome–, ela trabalhou em Duelo de Mães até a semana passada, quando realizou uma coletiva de imprensa para divulgar a estreia. Era o seu último compromisso antes de focar definitivamente na chegada de sua primeira filha. Ela já é mãe de Joesley, de seis anos, e Joaquim, de dois.

Agora, ela se prepara para a volta após a curta licença-maternidade. “Voltamos a gravar na primeira semana de novembro. Estamos preparando o camarim para ela [a filha] ficar, porque tem a questão da amamentação. Um programa por temporada é puxado, porque você tem que gravar três meses em um mês. Já um programa que entra na grade é mais calmo. Você pode gravar uma vez por semana”, explica.

“Fico mais tranquila em relação a isso porque não queria prejudicar ela [a bebê], a relação de mãe e filha e a amamentação. Então, deixei três meses gravados. Na primeira semana de novembro, ela não vai nem ter três meses, eu estarei de volta. Vamos gravar uma vez por semana, no máximo duas vezes. Vai ser menos sofrido”, comemora.

Duelo de Mães na Band será um reality de culinária diferente do MasterChef, outra aposta da casa. Na atração de Ticiana, a proposta é outra. Dois famosos e suas mães são convidados a duelar. Ganha a melhor cozinheira, ou seja, a melhor mãe.

Nas etapas, celebridades são colocados para pilotar fogão --mesmo sem ter destreza alguma. Mães são testadas pelo chef Dalton Rangel, que julga as habilidades e o prato de cada uma. Há também uma prova que faz todo filho suar: um teste às cegas para descobrir qual é a comida feita pela mamãe. Nesse enredo, a diversão supera o prêmio final. A cada programa, o time vencedor leva R$ 5 mil para casa.

A primeira fase de Duelo de Mães terá Negra Li, Karina Bacchi, Zeca Camargo, Daiane dos Santos e o cantor Tierry, entre outros. O primeiro episódio será com Fabiano, da dupla com César Menotti, em um embate com João Neto e Frederico, e suas respectivas progenitoras.

Duelo de Mães estreia às 20h25, na Band, neste sábado (21).