Review traduzida | GQ: Future Nostalgia é o primeiro 'grande album POP' da década

A primeira vez que escutei o segundo álbum de Dua Lipa, Future Nostalgia, fiz duas coisas: primeiro, parei de dançar, recuperei o fôlego e apreciei seu brilho. Segundo: coloquei todos os ótimos álbuns pop dos anos 2000 e esqueci o quanto eu amava: Natasha Bedingfield - Unwritten ;Fleshtone de Kelis, The Sweet Escape de Gwen Stefani. O Future Nostalgia merece ser lembrado com a mesma estima: ele é o primeiro grande álbum pop dos anos 20 e igualmente agradável.

Lipa falou com frequência sobre como este álbum é uma espécie de aula de dança, 12 implacáveis ​​faixas de pop inspiradas pelas grandes garotas pop da virada do milênio: ela fez referência a Moloko e Stefani, e quando falei com ela para a edição da GQ , ela falou sobre como queria que esse álbum fosse tão atemporal e vital para as mulheres jovens quanto The Dutchess da Fergie ou M!ss de Pink! foram. E ela foi absolutamente bem-sucedida.

O álbum abre com um quarteto de músicas que ouvimos predominantemente: lançando o single promocional ‘Future Nostalgia’ - imagine se Prince escrevesse para The Pointer Sisters - seguido pelo bop ‘Don’t Start Now’. Depois, há uma nova música chamada ‘Cool’, mais uma vez se inclinando na vibe dos anos 80 com alguns riffs sintéticos reais. É talvez o mais compatível com o álbum auto-intitulado de Dua Lipa: o ronronar esfumaçado de sua voz, um ritmo mais lento, mas com uma vibe muito mais forte de Carly Rae Jepsen da era EMOTION. Depois vem ‘Physical’, a música que Giorgio Moroder desejaria ter produzido. Como fica melhor, você pergunta? Não se preocupe, diz Dua. Apenas espere.
É difícil não escutar a maioria das músicas desse album como potenciais singles.

Se você acha que Dua já lhe deu o melhor de sua nova era, você está muito enganado: ‘Don’t Start Now’ foi um single para agradar as multidões, ‘Physical’ é o decano de qualquer drag queen e instrutor de academia do país, mas no momento em que estivermos todos livres do auto-isolamento; as faixas do álbum Future Nostalgia precisam ser tocadas na sua primeira festa pós-pandemia. Comece sua primeira noite de liberdade com ‘Hallucinate’, uma música que viverá mais do que qualquer uma de suas inspirações. Desde a ampliação da letra do refrão até a produção do estilo Kaytranada, essa música deve abrir todos os festivais e fechar todas as noites dos clubes. Você pode sentir os pingentes balançando nos baús dos foliões suados a cada pulso desta faixa. Faz você querer ser solteiro, cometer erros, beber demais e beijar a pessoa mais próxima de você. No entanto, a Future Nostalgia equilibra os hinos dos estádios e também é um evangelho de excelência feminina para todos os adolescentes que procuram inspiração. Sinceramente, pergunto: o que mais você pode pedir de um disco pop?

16 Curtidas

@Badmans
review sem nota, é daquelas que precisa especular.
Mas essa review tem cara de 90 a 100 na minha opinião

4 Curtidas

Morto na aclamação da lenda

Morro com o praise que esse álbum vai ter ainda
Parabéns lindaaaa

Rare apagadissimo

a Dua Lipa SERVIU os viadinhos com tudo o que eles queriam.
pop salvo com sucesso e competência. Não tem como negar que o trabalho saiu super refinado e ela tá criando uma identidade muito bonita

espero que tenha uma carreira ainda mais brilhante. fada humilde

1 Curtida

o primeiro grande album pop da década e o high road

o ar ficou rarefeito aqui

Conta pro meta?

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Achei que ele que tinha criado. As Fake News Perseu.

Esqueci do traduzida kkkkkkkkkkkkkk

‘‘Faz você querer ser solteiro, cometer erros, beber demais e beijar a pessoa mais próxima de você’’

sofro mo, deve ser o sono chegando pra ti

Esqueci de ler o traduzida KKK

E os viadinhos fazendo tpc no dia que vazou forçando q o álbum era horrível kkkkkkk

1 Curtida

A minha barba falhada
Sofro

eh vc mesmo? que gracinha… pois FARIA

o like a prayer da geração

KKK sim. Valeu

1 Curtida