Roberto Bomtempo fala sobre vida em Portugal, casamento de 18 anos com Miriam Freeland e estreia do filho como ator

Morando há dois anos em Portugal, Roberto Bontempo está passando uma temporada ao lado da família no Brasil e tem diversos projetos profissionais em andamento. Um deles é o espetáculo “A fabulosa fábrica de música”, com texto de Adalberto Neto, que estreou no último sábado (7), no Teatro das Artes, na Gávea, Zona Sul do Rio. Na peça, Roberto, que é o diretor, ganhou um auxiliar inesperado: o filho, Miguel, de 12 anos, fruto do seu casamento com a também atriz Miriam Freeland.

— As audições da peça começaram, e o Miguel foi me acompanhando informalmente, já que ele estava de férias dos estudos em Portugal. Como boa parte do elenco é de crianças, ele se animou e pediu para acompanhar de vez os trabalhos. Eu, então, oficializei como meu estagiário de direção. E ele foi levando super a sério. A gente ensaiou de segunda a sábado, por cerca de cinco horas, e ele lá comigo. Às vezes a Miriam convidava para sair, e ele: “Não, tenho ensaio” — conta.

Bomtempo conta que o filho passou a participar das atividades de preparação vocal e corporal nos ensaios. Logo a equipe começou a incentivar que ele ganhasse uma participação também como ator:

— Eu perguntei se ele queria, e ele falou que sim. Então, ele ganhou uma participação no início e no fim do espetáculo. Ou seja, é a estreia dele como estagiário de direção e nos palcos ao mesmo tempo. Ele sempre gostou desde pequeno de estar envolvido neste universo do teatro comigo e com a Miriam.

Paralelamente, Roberto produz outra peça em cartaz no Rio, no Teatro Clara Nunes, também na Gávea: “Diário de Pilar na Amazônia”. O espetáculo, baseado na obra de Flávia Lins e Silva, conta com Miriam no elenco.

— A Flavia é muito amiga nossa. Em 2018, montamos o “Diário de Pilar na Grécia”. Foi um sucesso absoluto. Combinamos que iríamos adaptando as outras obras da franquia. Quisemos fazer a Amazônia em seguida por conta da urgência do tema.

Bomtempo e Miriam estão casados há 18 anos. O ator diz que eles sempre se deram muito bem trabalhando juntos:

— Quando nos conhecemos, a Miriam já era atriz há bastante tempo, mas não produzia. Eu sempre achei que o ator no Brasil precisa produzir. Não vejo outro caminho. Aí fui falando com ela, a gente começou a fazer coisas juntos. A gente se entende muito bem trabalhando, seja como atores contracenando, eu dirigindo ou como produtores.

Sobre a mudança para Portugal, ele diz que a ideia inicial era passar apenas dois anos por lá:

— Gostamos demais. Os dois anos passaram muito rápido. Entendemos que ainda temos um tempo para ficar por lá. Quem sabe até o Miguel fazer 14 anos. Estamos trabalhando lá também com teatro.

Nesta volta ao Brasil, o ator acabou assinando contrato para fazer a novela “Dona Beja”, da HBO Max. O seu trabalho mais recente até então por aqui foi “Malhação: Toda Forma de Amar” (2019):

— Inicialmente, achei que não fosse conseguir por conta das datas, mas acabou calhando certinho. Eu ainda vou para Portugal e volto duas vezes durante as gravações. É um projeto muito bacana.