Rodrigo Fagundes fala de nova novela, "Cara e Coragem" e da união de 18 anos com o autor Wendell Bendelack

No ar como Nelito na reprise de “Pega pega”, de Claudia Souto, Rodrigo Fagundes vai reeditar a parceria com a autora em “Cara e coragem”. A novela sucederá a “Quanto mais vida melhor” na faixa das 19h da Globo no ano que vem. O ator viverá o dono de uma agência de dublês e patrão dos personagens de Paolla Oliveira e Marcelo Serrado:

  • Os trabalhos deverão começar em janeiro e as gravações, em março. Vou fazer um tipo solar, com humor. Ele sabe que os personagens do Serrado e da Paolla são os melhores dublês contratados. Então, faz acordos com os dois, cede em vários momentos para que eles possam resolver assuntos particulares, pois não quer perdê-los. Mais adiante, vai virar empregado deles.

Fagundes conta que sua amizade com Claudia começou em 2007, quando ela era redatora do “Zorra total”. Ele afirma que tinha o desejo de participar de uma novela já naquela época, mas não queria “comprar briga” com Maurício Sherman, então diretor do humorístico (“Ele tinha ciúmes dos atores que saíam do programa para fazer novela”). O ator conseguiu estrear no gênero só em 2015, em “Babilônia”, mas foi pelas mãos da amiga, dois anos mais tarde, que conseguiu seu primeiro papel de maior destaque, em “Pega pega”:

  • Nelito tem humor, mas também pude fazer cenas dramáticas. Claudia foi meu passaporte. E vamos fazendo esses voos juntos. Fiquei feliz de ser escalado de novo.

Em “Pega pega”, ele trabalhou também com o marido, Wendell Bendelack, que foi um dos colaboradores da autora. Os dois estão juntos há 18 anos:

  • A gente se conheceu na Casa das Artes de Laranjeiras. Wendell estudava lá e trabalhava na recepção. Isso foi em 1996 ou 1997. A gente só foi ficar junto em 2003, durante os ensaios da peça “O surto”. Nos apaixonamos ali. Moramos juntos há dez anos e recentemente compramos nosso apartamento (veja fotos abaixo) .

Eles planejam uma festa de casamento:

  • A cerimônia só vai acontecer quando estiver tudo muito seguro e mais tranquilo. Perdi a minha mãe há dois meses para a Covid. Ela falava em casamento. Por ela e por todo mundo, vamos honrar isso. Não conheço pessoa mais festeira que ela. Com certeza ela vai a essa festa. Ela tinha o Wendell como filho também.

O ator, de 48 anos, diz que a mãe sempre o defendeu do preconceito por conta de sua orientação sexual.

  • Ela tinha um salão. Quando perguntavam por que eu não estava namorando, cobravam, ela dizia: “Ele sabe o que quer da vida dele, deixa ele viver”. Eu tinha uns 19, 20 anos. Não falava muito sobre minha sexualidade. Eram vários tabus. Eu estava me descobrindo ainda, tinha muito medo. Minha mãe nunca teve preconceito - lembra ele, que não pretende ter filhos. - Adotamos duas gatinhas em janeiro. E temos sobrinhos que nos preenchem bastante. Acho que não teremos filhos humanos.

lenda

1 curtida